Resenha #386 - Cadê meu pai? - Bruno Godoi

Livro cedido pelo autor.

Título: Cadê meu pai?
Autor(a): Bruno Godoi
Editora: Amazon
Páginas: 195
Nota: 5/5 (Favorito)

- Que mãe fica sem comprar remédio e deixa os meninos com fome?
- Que pai foge para a cidade grande atrás de mulher com dinheiro?
Olá, tudo bem com vocês?

A resenha que trago hoje, é o último lançamento do autor Bruno Godoi, livro que aliás está participando do 2º Prêmio Kindle de Literatura.

Cadê meu Pai?, começa no tempo atual, com uma família na ceia de Natal, após o jantar, com troca de presentes e sorrisos, as crianças vão para o quarto dormir e pedem para seu pai contar uma história que elas já são habituadas a sempre ouvir, porém nunca cansam de escutar.

E é assim que também acompanhamos a história de Zezim e Fredim ...

José e Frederico, são duas crianças de 8 e 6 anos, que enfrentam muitas dificuldades no dia-a-dia. Sua mãe está com uma grave doença e eles nunca tiveram nenhum contato com seu pai, já que o mesmo foi embora quando eles eram ainda muito pequenos, com o intuito procurar um emprego melhor, mas nunca mais voltou. 

A família de Ivone, mãe das crianças, passa por uma fase muito complicada e cheia de problemas, seja falta de dinheiro, mantimentos, animais velhinhos e até a árvore da casa só tem fruta com bicho, tudo em volta de Ivone está por um fio como a sua vida, ela consegue pôr pouca comida na mesa com a ajuda de vizinhos que sensibilizam com o a situação da família.
- Deus tem benção de sobra para nos dar.
- Só não tem um pão, né? - José retrucou. - Que Deus manda água morro abaixo, mas não manda um pãozinho de sal sequer? Nem goiaba sem bicho tem.
Para tentar manter a inocência dos filhos, e deixá-los longe de casa para não ver o quanto Ivone definha, ela planta pistas para que as crianças se sintam curiosos afim de descobrir quem é o pai deles, pois eles acreditam que encontrando o pai, todos os problemas serão solucionados. E assim eles começam a sua aventura pela cidadezinha do interior de Minas Gerais, com personagens que são introduzidos no decorrer da história.

Para as crianças, sua missão é encontrar um pai, mas sabemos que o eles encontrarão, são ensinamentos para o resto da vida.
- Tenho certeza que a mamãe vai ficar feliz quando a gente achar o papai. A doença dela vai até sarar... Ouvi as vizinhas falando que é doença da cabeça que dói o corpo...
Cadê meu Pai?, é uma história leve, muitas vezes engraçadas, como também, muito triste. Eu senti uma forte empatia pelas crianças o tempo todo. O Bruno teve uma escrita muito sensível neste livro, livro que alias é muito importante para ele, pois ele foi feito em homenagem ao aniversário de 80 anos de seu pai, onde em uma história fictícia ele trouxe a inocência e o jeitinho mineirinho de uma Divinópolis de muito tempo atrás. 
- Sua mãe, mais do que ninguém nesse mundo, está lutando contra a coisa... Você é um menino tão especial, as coisas chegam rápido na sua cabecinha. Não culpe Ivone assim... Ela... é sua mãe - uma lágrima escorreu pela bochecha da diretora.
A narrativa tem muitas gírias regionais, e é muito gostoso de se ler. É uma história curta, com uma escrita bastante fluida, então pode ser lido em poucas horas e vocês encontrarão uma mensagem de união, amizade, altruísmo e esperança.
- Eu quero ficar igual artista de cinema para sair com Vacão para pegar cocota.
- Pegar o quê?
- Namoradas - José explicou.
 
Em relação a diagramação, o livro está disponível em plataforma digital, pela Amazon, e vocês podem adquiri-lo clicando AQUI, não localizei erros de revisão, e ele está com o preço super acessível e também disponível no kindleunlimited, podem ter certeza que vocês não irão se arrepender.

Espero que gostem e até a próxima <3 

Resenha #385 - A segunda Chance de Zoe - Layla Casanova

E-book cedido pela autora

Título: A Segunda Chance de Zoe
Série Mercy Bay - #1
Autor(a): Layla Casanova
Editor: Amazon
Páginas: 203
Nota: 4/5
Achar um cara bonito é uma coisa, agora sair flertando por aí é outra completamente diferente. Eu tinha acabado de me tirar de uma situação que entrei pelo simples fato de não saber  dizer não e na minha nova vida gostaria de não cometer os mesmos erros.

Olá pessoas, tudo bem?

Hoje eu venho com mais uma resenha nacional. Tenho lido muitas coisas legais e bem escritas em nossa literatura. Sempre que dá, cá estou eu divulgando nosso autores. 

Este é o primeiro contato que tenho com a escrita de Layla, e confesso que me surpreendi, porque achei que não fosse gostar da história. Quando comecei, não curti muito, mas conforme as páginas foram passando, eu fui me sentindo presa e me peguei curtindo muito a leitura. Demorei um pouco mais para ler e resenhar, porque estou com um problema de irritação nos olhos e isso me atrapalha um pouco, mas jamais vou deixar de ler em E-book. 

Zoe passou por um momento complicado em sua vida. Ela resolveu passar um tempo fora de sua cidade natal enquanto terminava sua residência cirúrgica. O tempo em que ela esteve fora, foi suficiente para ela decidir que queria mudanças em sua vida e agora ela queria um recomeço.

Ela queria algo diferente para a nova Zoe. Ficar longe da família que a tratava com uma boneca de vidro, era seu primeiro passo. Então eis que ela resolve fazer residência em emergência e vai para o Hospital Geral Mercy Bay em San Francisco, onde passar a ter residência fixa. 
Estou feliz por estar aqui e poder ajudar, porque esse trabalho é sobre quem a gente consegue ajudar, né? Sobre os que salvamos, e não os que perdemos.
Nos seus primeiros dias, Zoe conhece Adam. Ele é um dos bombeiros que trabalha próximo ao hospital. Adam é bonito, engraçado, galanteador, extremamente e incrivelmente sexy. E a tira dos eixos de primeira, mas ela não se deixa levar, porque tudo que ela menos quer é começar a sua nova vida com um romance. 

Acontece que os dois se encontram por a caso em um bar próximo ao hospital e terminam ficando juntos. Zoe não acredita que fez isso. Mas não adianta se arrepender, porque foi muito bom. Só que ela queria e muito esquecer este dia e principalmente que foi com o Adam. 

Ah, mas o Adam não facilita as coisas não. Ele sempre a trata bem. Eles se topam em alguns lugares e no fim ele termina a convidando para lhe mostrar o lado bom da cidade. E ela aceita e as coisas vão acontecendo. Eles vão se conhecendo e o trabalho vai se intensificando também com seus altos e baixos da profissão de ser médico em um atendimento de emergência. 

Mas Zoe não esperava que alguém do seu passado reaparecia, deixando a mente e o mundo dela totalmente abalado. Zoe não esperava por essa visita e ela ficou realmente confusa com tudo. O que será que ela vai resolver? Voltar ao passado, ou construir um futuro com o Adam?

Eu gostei muito da forma como a autora escreveu a história dentro deste universo hospitalar. Teve algumas cenas que mexeram com o meu coração e eu fiquei com ele apertado viu. A Layla é uma fofa e muito atenciosa, ela simplesmente transmitiu toda esta graciosidade para a sua escrita. Os personagens são cativantes e bem desenvolvidos, não tem como não se apaixonar por cada de uma maneira diferente e igual ao mesmo tempo.

O Adam, é maravilhoso. Fiquei completamente apaixonada por ele. Um cara extremamente dedicado a sua profissão de bombeiro e que não mede esforços para ajudar o próximo. É nítida a sua paixão pelo que faz e isso reacende o amor ao próximo dentro de nós. Fora que ele é lindo, gentil, sexy e apaixonante. 

A Zoe também é uma mulher maravilhosa. Ela tem uma empatia muito grande com os pacientes, ela se entrega ao trabalho e tenta fazer o melhor para salvar a vida de alguém. Percebemos que as suas novas escolhas foram certeiras e que mesmo com algumas de suas inseguranças, sabemos o quanto ela ama o que faz. Ela foi uma personagem que me cativou muito a qual me identifiquei demais. Mesmo quando ela me irritou nas partes finais do livro, com algumas atitudes e situações em que ela viveu, mas faz parte do ser humano. 

Uma coisa que curti muito na narrativa, foi que os personagens pareciam reais, era como se eu tivesse lá junto com eles, vivendo tudo aquilo. Não vi nada que fugisse muito da realidade. Layla soube desenvolver isso muito bem em toda a história. 

Mesmo com alguns errinhos de revisão (que pode ser corrigido facilmente em uma nova edição), gostei muito de tudo que eu li.  A leitura é de fácil entendimento e você se conecta com as vivências diárias. Torço muito para que Layla, possa publicar fisicamente, porque é notável seu talento e dedicação ao escrever uma história que pode nos preencher e refletir. 
Estamos aqui para salvar vidas, e me pergunto qual o ponto de aprender tudo que venho aprendendo se não tiver ao menos uma chance para tentar salvar alguém.
Espero que tenham curtido pessoal! Deixem seus comentários, quero saber a opinião de vocês. Um xero!

Semana Rainha - Mari Scotti - Dia 5 - Tag Neblina e Escuridão


Olá pessoas, tudo bem??

Continuando a semana especial Rainha, hoje eu trago uma tag bem legal e como eu amo responder tags, eis-me aqui.

A Tag foi criada pela Mari  e pela linda  Beatriz Andrade.

A Tag consiste em indicar um livro de acordo com a personalidade dos personagens da série Neblina e Escuridão. Pode ser respondido por escrito, vídeo, instagram, como desejarem e com livros lidos, desejados ou odiados, de acordo com o seu gosto.

Elizabeth: Um livro que você leu (emprestado ou alugado) e nunca achou um exemplar para comprar.

Eu não cheguei a ler o livro, mas assisti o filme diversas vezes e quero comprar este livro nesta capa, então quem souber onde achar me avise.

Ellene: Um livro que você estava indeciso se seria uma boa leitura, mas foi até o fim para descobrir.

E foi a melhor escolha que eu fiz. <3

Heidy: Um livro com um vilão que você detestou e torceu para que ele morresse.

A Keris Venturius, eu odeio com todo o meu coração esta mulher... :/

Nicolae: Um livro com um personagem secundário importante para a trama e de quem você não sabia se confiava ou não.

Rhysand, eu ainda não sei se confio nele, mas fiquei apaixonadinha. <3

Milosh: Um livro com um protagonista destemido, porém depressivo.

Dante, pensa num cara depressivo!!

Jacó: Um livro com um irmão mais velho ciumento.

A irmã da protagonista, não era ciumenta, mas pegava muito no pé dela.

Carol: Um livro que te deixou curioso e você deseja ler em breve.

Quero muito!!

Tomás: Um livro que você amou e te decepcionou no final.

Final muito frustrante. :/

Benjamim: Um livro que te deixou com sentimentos dúbios, ainda não sabe se gostou ou odiou.

Só consigo lembrar deste haha.

Clique na imagem para ser direcionado ao evento no Facebook.

Um xero!


Semana Rainha - Mari Scotti - Dia 4


Olá leitores, tudo bem?

Continuando a semana especial Rainha, hoje iremos falar sobre os personagens principais. Vamos conhecer a descrição de quem eles são.

Obs: As imagens dos personagens foram escolhidos por mim, pois foram as pessoas que imaginei ao ler os livros.

Milosh Vasille
Nascido em 30 de setembro 1240, em Londres e transformado por uma mulher desconhecida. Possui aparência de um homem de trinta anos, olhos esverdeados; lábios médios. Alto, com corpo comum e forte devido os anos de treinamento no exercido antes de sua morte humana. Cabelos negros e face sisuda, pois foi muito maltratado pela vida. É marido e guardião de Elizabeth III, a rainha dos vampiros.

Elizabeth Fargnoli
Nascida em 14 de abril de 1400, também transformada por um vampiro desconhecido. Possui cabelos loiros, olhos azuis e face angelical. Apaixonou-se por Milosh à primeira vista, causando a separação de sua melhor amiga e mentora Heidy Petrakov de seu Reino. Tornou-se uma das vampiras mais poderosas sendo elevada a rainha do mundo vampírico. Junto com Milosh e Benjamin, criaram novas leis que proibiam a morte de humanos, a caça desenfreada, a transformação de novos vampiros sem consentimento do Conselho e a principal: não ter filhos com humanas. Está sequestrada há quase cem anos.

Heidy Petrakov
Com 1023 anos de idade, Heidy foi a primeira híbrida reconhecida e a última aceita no reino dos vampiros. Possui um aroma antigo de leite de rosas, é ruiva como todos os híbridos, com olhos verdes, lábios carnudos e corpo farto e curvilíneo. Ambiciosa, não vê limites para alcançar seus objetivos. Mentora de Elizabeth e Milosh, tornou-se inimiga da coroa quando seu pupilo se apaixonou por sua melhor amiga e futura rainha, teria sido a escolha, não fosse sua condição meio-humana.

Ellene de Moraes
Tem aparência de uma garota de dezoito anos, olhos verdes, ruiva e de pele muito clara. Seus lábios são carnudos e o nariz levemente arrebitado. Possui uma beleza de traços antigos, como uma pintura de outra época. Sonha quase sempre com um homem de olhos extremamente verdes, parece doentio e perigoso. Adotada, reside na comunidade de lobisomens do estado de São Paulo. Ellene anseia por sua primeira transformação na lua cheia e estranhando as diferenças entre si e os demais moradores, busca informações sobre seu passado e a mulher que a deixou com seus pais e que acredita ser sua mãe biológica.

Tomás Mattos
É o melhor amigo de Ellene, seu instrutor na escola da comunidade e também completamente apaixonado por ela. Alto, pele bronzeada, cabelos escuros e olhos castanhos. Costuma se vestir com bermudões e quase sempre está sem camisa. Em noites de lua cheia ajuda a matilha a patrulhar a vizinhança, em busca de vampiros ou outros seres que descumpram o tratado de não matar humanos.

Jacó de Moraes
Líder dos lobisomens, é o irmão mais velho e adotivo de Ellene. Super protetor, guardador dos segredos da família e de seu clã, é fiel, amigo e o mais temido entre todos, pois não hesita em colocar ordem, mesmo se houver necessidade de eliminar seus inimigos. Jacó tem aparência de um rapaz de vinte e um anos, pois sempre está sorrindo e tem um ar apaixonado. Mantém os cabelos na altura dos ombros, tem a pele bronzeada e os olhos num tom castanho quase avelã. Os lábios são grossos como os do pai, o nariz pequeno, proporcional ao rosto quadrado.

Carol Cândido
Pouco mais de vinte anos de idade mortal, mas aparência de uma garota de dezessete. Corpo miúdo, seios grandes, bumbum arredondado. Seus olhos possuem tom quase mel, combinando com seus cabelos, cílios compridos e está sempre maquiada. É a ex namorada de Tomás e ainda apaixonada pelo rapaz. Sua transformação foi tardia, acreditam que seu corpo não amadureceu a condição de protetora da humanidade, pois passou alguns anos fora do Brasil e longe de sua comunidade.

Espero que tenham gostado pessoal. Um xero no coração de todos!!!

Clique na imagem para ser direcionado ao evento no Facebook.

Semana Rainha - Mari Scotti - Dia 3


Olá leitores, tudo bem???

Hoje eu trago a vocês a playlist dos três livros. Eu escolhi uma música de cada para mostrar, dentro das que mais gostei, mas deixarei o link para vocês acessarem e saberem mais, ok?

**Playlist de Híbrida**

 

**Playlist de Guardião**


 

**Playlist de Rainha**


 

Um xero no coração de todos!!

Cliquem na imagem para ser direcionado ao evento no Facebook.

Semana Rainha - Mari Scotti - Dia 2


Olá leitores, tudo bem?

Continuando a semana especial Rainha, vamos conhecer um pouco mais sobre a autora Mari Scotti e também uma entrevista cedida por ela. 

Paulistana. Nascida em 22 de fevereiro de 1980. Formada em Recursos Humanos pela faculdade das Américas. Aprendeu a amar a literatura desde a infância quando sua mãe lhe mostrou um livro que estava escrevendo. Apoia sem reservas a literatura Nacional. Já gravou CD, compôs e hoje dedica a maior parte do seu tempo aos personagens. Autora das séries Neblina e Escuridão pela Editora Novo Século; série Nefilins; Coleção Família Hallinson e O Cobiçado. Criadora e administradora da fanpage de literatura nacional: Literatura Nacional BR e do Blog Coração de Papel. Responsável pela Semana do Livro Nacional no Estado de São Paulo desde 2014.
**Entrevista** 
1. Como você se descreve?

Persistente e paciente. Acredito que seriam os melhores adjetivos para me descrever, porque sou bastante paciente em tolerar situações para alcançar aquilo que almejo e dificilmente desisto. Gosto do que faço e coloco toda minha paixão na escrita, porque desejo que as pessoas se apaixonem pela leitura, assim como eu. Sou um pouco reclusa, mas adoro conversar, fazer amigos, conhecer pessoas, mesmo me sentindo mal depois por falar bastante. Sou uma máquina de palavras, falo muito. Graças a Deus ultimamente tenho conseguido me controlar e deixar os outros falarem também.

2. Qual o significado dos livros na sua vida?

Sempre amei ler e isso me aproximou bastante da minha mãe quando era menina, porque ela que me ensinou a escrever meus primeiros textos. Mais adulta, escrever me tirou de uma situação bem complicada, estava com depressão, desistindo de tudo, me afastando da família, amigos, pessoas importantes para mim. Quando percebi, me foquei em algo que eu amava fazer e acredito muito que foi Deus que me direcionou a isto. Reencontrei meu rumo, alegria e escrever me ajudou a vencer muitas dificuldades pessoais. Então posso afirmar que os livros e Deus me salvaram muitas vezes e me trouxe muitos novos amigos.

3. Cite 3 autores e livros favoritos.

Amo Crepúsculo e A Hospedeira e a narrativa da Stephenie Meyer.
A Denise Flaibam com Os Mistérios de Warthia.
E a Keila Gon da série Cores. Ela sabe como criar um mistério sobrenatural envolvente, instigante e tão palpável que as vezes parece ser capaz de se tornar realidade.

4. Quando você começou a escrever e por quê?

Comecei a escrever entre dez e doze anos de idade, mas minhas histórias não eram legais não. Vejo essas meninas que publicam tão novinhas e fico pensando que eu era bem atrasada nessa idade, não sabia formar frases direito, menos ainda personagens! Fico admirada com quem consegue.
Gostava de ler muito e chegou um momento que eu não tinha mais o que ler na biblioteca da escola e comecei a reclamar com a minha mãe. Ela me apresentou um livro que estava escrevendo. Achei tão incrível que minha mãe escrevia que quis imitar. O livro que ela escreveu, na época, conseguimos publicar a pouco tempo e se chama Uma Janela Fechada.
Esse desejo reascendeu depois que li Crepúsculo e descobri qual era o meu estilo preferido de escrita: fantasia. O desejo de publicar veio depois de conhecer a escritora nacional Nazarethe Fonseca, pois vi que existiam escritores no Brasil tão incríveis quanto os que eu gostava estrangeiros.

5. Você é muito envolvida com projetos de reconhecimento e divulgação da literatura nacional com a fanpage Literatura Nacional BR e seu Blog Coração de Papel. Como avalia o cenário da literatura nacional atual?

Cada pequena ação, seja de um blogueiro ou vários, seja de um autor ou todos, ou apenas de um leitor que decide por um livro nacional ao invés de outro, muda nossa situação atual. Há quatro anos, quase não se ouvia falar em escritores nacionais – salvo os já renomados. Hoje, vemos muitos dando entrevistas, sendo chamados para eventos, sendo lidos, além de algumas editoras que abriram mais as portas para os brasileiros que possuem esse talento. Eu acredito que é o começo, é árduo, demorado, doloroso, mas em alguns anos teremos o prazer de ver em destaque nas livrarias mais livros nacionais que os estrangeiros, assistiremos filmes baseados em nossas criações e veremos leitores preferindo o que é nosso ao que vem de fora, porque saberão que é tão bom quanto, se não melhor. Fico muito feliz de fazer parte disso, dessa mudança, de ter algum papel, mesmo que mínimo, na conscientização dos leitores, editoras, mídia, entre outros, de que o nacional também tem voz e letra.


6. De onde surgiu a ideia para Insônia e Hibrida?

Ambos os livros eram fanfics que eu publicava no site de Fanfics e alguns personagens eram inspirados na Saga Crepúsculo.
Híbrida: Um dia surgiu uma pergunta na minha cabeça: O que aconteceria com a rixa entre lobisomens e vampiros, se os lobisomens tivessem de criar uma criança vampira ou vice-versa? Da pergunta nasceu a Ellene e toda a trama da série, como de onde ela vem, o motivo de ter sido deixada entre os lobos e também Milosh, o vampiro que teve sua esposa e rainha sequestrada e que precisa descobrir onde ela está, quem é o traidor e como salvar sua espécie do caos eminente.
Insônia: Insônia era para ser um romance somente, comecei a escrever por causa de um amigo rpgista que se intitulava Eros. Criávamos cenários e histórias diversas e na maioria das vezes ele me contava as melhores. Sempre fiquei abismada com a criatividade dele em contar histórias e decidi que dedicaria um personagem a ele. Criei os dois primeiros capítulos de Insônia, porém não consegui continuar, porque meu forte é a fantasia. A história ficou abandonada por três anos até que relendo tive um clique: E se o Pietro não fosse apenas humano? E se tivesse algo mais por trás dessa aparição? Foi assim que a série nasceu.

7. Vemos que se tornou algo viral, escritores de fanfics publicando livros, como você avalia essa transição?

Depende muito do autor. Alguns têm a preocupação de mudar a característica dos personagens, lugares e situações para que não lembre os personagens que o inspirou, mas infelizmente, a maioria, não faz isso. Acho louvável o escritor que se preocupa em dar aos seus leitores algo realmente original, com personagens que, mesmo sendo de uma ex fanfic, sejam criações de sua mente, do seu coração de escritor. Eu sou a primeira a apoiar quem escreve fanfic a se arriscar a escrever um livro, mas desta forma, buscando tirar as características dos personagens de outro escritor de seu livro, readaptar a história, complementar descrições, melhorá-la.

8. Algum dos personagens do seu livro foi inspirado em você? Ou em algum amigo, familiar, etc?

Quando começamos é sempre melhor escrever o que conhecemos, e para criar alguns personagens precisei olhar para a minha família, nossa criação e convivência. A Ellene e a Suzanna têm muito de mim, principalmente na forma de enxergar o mundo com inocência demais. Na época eu não conhecia nem livro erótico por exemplo, e a falta de conhecimento da vida fica um pouco evidente na forma que narrei os dois primeiros livros (Insônia e Híbrida).
Conforme fui amadurecendo, a escrita também amadureceu e hoje consigo separar bem mais o personagem das minhas influências pessoais. A Ellene tem uma característica bem pessoal minha: medo de insetos. As famílias também possuem muito da minha: a união, as brincadeiras, a cumplicidade e o amor.

9. Quais os próximos projetos?

Escrever o terceiro livro da Família Hallinson, o livro do Adam e terminar a distopia! Estou ansiosa também para conseguir um emprego haha.

10. Deixe um recado para os seus leitores.

Muito obrigada por participarem da minha vida, por lerem meus livros e se dedicarem tanto! Eu amo vocês!

Espero que tenham curtido pessoal!!! Um Xero!

Clique na imagem para ser direcionado ao evento no Facebook.

Semana Rainha - Mari Scotti - Dia 1



Olá leitores, tudo bem?

Para quem acompanha o blog, já sabem que temos uma parceria muito especial com a autora Mari Scotti

Dia 11/11/2017 acontecerá o lançamento de Rainha, terceiro livro da trilogia Neblina e Escuridão em São Paulo. Livro lançado pela editora Novo Século.  

Então convido a todos, a participarem desta semana especial que estamos promovendo para divulgar a nossa literatura nacional e também para que possam conhecer mais e mais o trabalho incrível da Mari.

Conhecendo os livros que compõem a trilogia:

Por toda a vida, Ellene teve a sensação de ser diferente de seus irmãos e dos moradores de sua vila, pois não adquiriu características de lobo, como era esperado. Com um espírito rebelde, resolve desvendar o passado em busca de sua verdadeira origem. O que não planejava era entrar no meio de uma rixa entre vampiros, a raça que aprendeu a temer e odiar desde menina. Para piorar, seus pesadelos voltaram: sonhos com um homem misterioso de olhos ameaçadores, envolvido por uma densa neblina.
Há quase cem anos a rainha dos vampiros foi sequestrada e seu marido, Milosh, desde então busca incessantemente encontrá-la. O tempo é escasso e as autoridades do Conselho desejam eleger um rei cruel em seu lugar. Na tentativa de tardar a mudança, ele se une à maior inimiga da rainha. Qualquer erro pode condená-lo à morte e subjugar todos os seus iguais. Ellene e Milosh mal sabem que aquilo que buscam os colocará frente a frente, em uma trama de intrigas, poder, amor e ódio.

Ellene finalmente enfrenta o homem de seus pesadelos e descobre que os dois têm mais em comum do que esperava. Ao mesmo tempo, o Guardião Millosh, determinado a recuperar sua rainha e a segurança de seu reino, se vê sozinho ao deparar-se com traições e precisa confiar em seu inimigo para continuar a busca por respostas. 
Unidos pelo passado, Millosh e Ellene são surpreendidos por um sentimento poderoso, impossível e inesquecível. A determinação deles será colocada à prova, bem como a lealdade à raça. E lhes resta apenas a coragem ao se deparar com as revelações que os aguardam. No segundo livro da destacada série Neblina e Escuridão, amor e consciência não deveriam seguir o mesmo caminho. 


A morte de um ente querido pode desestruturar famílias e uma matilha. Ellene não sabe como superar suas perdas, principalmente agora que não tem mais como recorrer a Milosh. Encontrar a rainha dos vampiros era a sua missão, mas jamais imaginou se sentir tão perdida em conhecer sua verdadeira origem.
Os vampiros desconfiam que Elizabeth III não é quem diz ser, e, se ela não provar sua real identidade, seu reinado padecerá. O reino dos vampiros está ameaçado; os traidores, mais perto do que se imagina. Amigos não são aliados. Então lhes resta lutar pelo trono e pelo futuro do reinado de Elizabeth. 



Resenhas:
Híbrida | Guardião | Rainha |

Não esqueçam que temos o lançamento em sampa. Para saber mais cliquem na imagem abaixo, que você será direcionado ao evento no Facebook.


Um xero no coração de todos!!!!