Resenha #431 - Dear Heart, Eu Odeio Você! - J. Sterling

Livro cedido em parceria com a editora

Titulo: Dear Heart, Eu Odeio Você!
Autor(a): J. Sterling
Editora: Faro Editorial
Páginas: 288
Nota: 5/5 - Favorito!
Não estava pronta para ele. Não tinha nem mesmo me planejado para ele.
Olá pessoas, tudo bem?

Este é o primeiro contato que tenho com a escrita de J. Sterling e fiquei completamente apaixonada. Sério. Eu me peguei completamente viciada pela escrita da autora e completamente louca de amor por esta história.

J. Sterling também é autora da trilogia Jogo Perfeito a qual eu ganhei em um evento mediado pela Faro Editorial e  agora, me sinto com mais vontade de ler os livros.

Jules, é uma mulher independente e completamente focada em seu trabalho. Sua principal meta era construir uma carreira sólida e de excelente reputação. Por isso ela trabalhava sem parar. Ela não gostava de perder tempo e o amor, sempre entrava em segundo plano em sua vida. 

Cal Donovan, era bem parecido. O foco na carreira e em seu crescimento profissional, era tudo que ele mais queria. Ele tinha uma meta de sociedade com os donos da empresa de finanças que trabalha atualmente e trabalhava sem parar para chegar aonde queria. O amor, era algo muito distante de sua vida. Não entrava em seus pensamentos e muito menos passava por sua cabeça ter este tipo de sentimento. Pois nada poderia atrapalhar a ascensão profissional que ele havia traçado.

Só que não somos totalmente donos de nossos destinos. Algumas coisas fogem do nosso controle, porque não há como fugir disso. O destino quando bate na porta, você não tem tempo de pensar no que fazer, porque ele já se infiltrou. Ou seja, na vida dos dois, um encontro ao acaso, poderia mudar tudo. 

De repente, o amor chegou, se instalou e eles se viram perdidos, sem saber exatamente o que fazer. Pois apenas sentiam, mas não sabiam que definição dar a este relacionamento. Como eles mesmos diziam, nem sabiam se isso era um relacionamento, pois estavam a milhares de quilômetros longe um do outro. Como viver tudo isso? Como eles poderiam viver um amor e abandonar tudo que haviam construído em suas vidas? Como poderiam seguir com algo tão forte, se cada um estava com sua vida estabelecida em suas cidades. Ele em Boston e ela em Malibu, como ficariam?

Pessoas, eu fiquei completamente apaixonada por esta história e digo mais, é uma história que realmente aconteceu. Quer coisa melhor do que você ler algo que realmente aconteceu? Minhas mente ficou pirada e as minhas emoções a flor da pele. 

Eu tive um misto de sentimentos de como as coisas foram acontecendo. O primeiro encontro, nada programado. Completamente inusitado. O olhar de Jules para os lábios dos sonhos de Cal. Em contrapartida, ele impressionado com a forma descontraída e alegre de Jules. E o que mais tinham em comum, os dois eram loucos por seus trabalhos e por suas carreiras. Eles não pensavam mais em nada do que crescer profissionalmente e das batalhas diárias para atingir seus objetivos. Talvez tenha sido isso, que os atraíram. O primeiro encanto.
Fazia muito tempo que não conhecia um cara cujos pensamentos fossem tão parecidos com os meus. Chegavam quase ser mais excitantes do que todo o resto. Queria fazer amor com a sua mente. Será que isso era possível? Eu me ofereço como voluntária. (Jules)
Cal me encantou desde o inicio. Ele me impressionou pelo o homem que é. No decorrer da leitura, eu estava toda apaixonadinha por ele. Fiquei imaginando como seriam estes lábios dos sonhos que tanto a Jules falou. Ele é um cara de atitude e quando ele fez a merda, desculpe a expressão da palavra, com a Jules, fiquei muito decepcionada e até saiu algumas lágrimas dos meus olhos, porque eu não estava acreditando naquilo. Mas como ele mesmo disse, somos seres humanos e somos falhos, acho que podemos dar uma segunda chance quando reconhecemos os nossos erros e os assumimos. Neste ponto ele conseguiu me reconquistar. 
Fiquei orgulhoso de apresentar Jules. Foi um sentimento estranho, ter alguém que eu queria que as pessoas soubessem que estava comigo, e não simplesmente porque era bonita. Jules era muito mais do que isso. (Cal)
Jules, é muito focada no trabalho, mas no fundo é uma sonhadora romântica. Ela ainda não sabia disso, pois ainda não havia tidos sentimentos tão fortes por uma pessoa. A partir do momento em que abriu seu coração, ela estava entregue aquela paixão que crescia a cada dia. A cada troca de mensagem, a cada telefonema. Ela já estava acostumada em viver aquilo, ainda que fosse inacreditável. Ela jamais imaginou que aquele encontro ao acaso, se transformaria em tudo aquilo que estava vivendo. Parecia um sonho e ela não queria acordar nunca.
Meu coração agora estava claramente destinado a querer. Estava destinado a sentir. Estava destinado a fazer mais do que apenas me manter viva. Ah, eu realmente tinha me esquecido de como era essa sensação. (Jules)
Acho que eu amei muito tudo que li, porque consegui me identificar completamente com Jules. Somos muito parecidas, em questão de sentimentos. Acho que ela é de libra haha. Somos muito românticas e a nossa imaginação rola solto. Eu nunca tinha me identificado tanto assim  com uma personagem, como foi com a Jules, fiquei impressionada. Algumas de nossas ações em momentos de conflitos internos eram tão iguais. Nossos pensamentos se conectavam  perfeitamente, acho que por isso terminei favoritando o livro. Até parece que a Sterling me conhecia e já tinha traçado a nossa personalidade.

A história não é apenas de duas pessoas que se encontram ao acaso. É a história de duas pessoas se conectam. Cal e Jules, me conquistaram como pessoas, como casal. Eles souberam viver os sentimentos com toda a sua carga. Eles demonstraram suas fraquezas e inseguranças. Eles souberam nos ensinar o valor do perdão e que quando o amor é verdadeiro, a distância é um mero detalhe. Eles foram reais. Porque a história foi real. Então construí-la da forma que foi, me deixou completamente envolvida e anestesiada.


A diagramação do livro é linda. Representa o amor em sua bela forma. Na capa tem corações desenhados. Em cada inicio de capítulos, tem uns desenhos que ficam em forma de corações. É muito coração para uma pessoa só gente. Eu amo coração, então imaginem meu amor incondicional por este livro. Ele ficará na minha mente e no meu coração para sempre. É o tipo de história que te conquista, desde as primeiras frases. As folhas são amareladas, com a fonte em um tamanho médio, bem confortável para a leitura. A Faro sempre arrasa. Meu vocabulário de elogios vai acabar, porque nossa!!! Não tem como não falar do excelente trabalho que eles fazem. Estão de parabéns. 

Então eu recomendo demais a leitura para amantes de romance, de fatos reais, de muitos corações, de amor e principalmente de vida. Este livro, foi o décimo que li este ano e foi o primeiro favorito!!!

Um xero no coração de todos!
Nem sempre nós podíamos escolher a quem amar. Ás vezes, era um impulso irresistível que nos guiava, uma força gravitacional, algo que não podíamos ver nem controlar, mas que nos arrasta com força na direção de outra pessoa. Claro que nós podíamos tentar resistir. Mas no final o amor sempre vencia, porque não se tratava de uma luta justa. O amor tinha uma arma secreta, um instrumento de poder incomparável para usar contra nós - o nosso próprio coração. (Jules)

Resenha #430 - Uma Dobra no Tempo - Madeleine L'engle


Título: Uma Dobra no Tempo #1
Autor(a): Madeleine L'engle
Editora: Harper Collins
Páginas: 240
Nota: 4/5

Era uma noite escura e tempestuosa.
Margaret Murry estava em seu quarto, que ficava no sótão, enrolada na velha colcha  de retalhos, sentada ao pé da cama e assistindo às árvores que se agitavam, açoitadas pelo vento. Por trás das árvores, nuvens frenéticas cruzavam o céu. De quando em quando via-se a lua, que criava sombras espectrais a correr pelo assoalho.
Olá pessoas, tudo bem?

Desde que este livro foi lançado eu o quero. Ele é de ficção científica, mas com sua pitada de fantasia. Mas eu fiquei imensamente curiosa por ele. Amei o titulo e só por ele, meu interesse cresceu. Devo confessar que nem se quer li a sinopse. 

Só que depois de desejar imensamente o livro, foi que descobri que ele iria sair no cinema e devo confessar minha frustração por não ter conseguido assistir, pois aqui em sampa só tem em cinemas que estão de contra mão pra mim, não saiu em todos, enfim, frustração a parte, eu gostei demais da leitura, tanto que a fiz em apenas dois dias e curti tanto, que só lembrei de colocar no skoob bem depois haha.

Não conhecia Madeleine, então este é o meu primeiro contato com a escrita dela. Descobri no final do livro que o manuscrito começou a rodar pelas editoras em 1960 e somente em 1962 que foi lançado. Então imaginem, o livro antigo que a Harper Collins apostou em nos trazer e digo a vocês, que mesmo sem a nossa tecnologia atual, é como se o livro tivesse sido escrito recentemente.

Em Uma Dobra no Tempo, Meg Murry e seu irmão mais novo, Charles Wallace, descem para fazer um lanche. Neste dia, estava uma noite bem escura e tempestuosa e quando menos esperam, recebem um visita de uma pessoa muito peculiar.
Vou fazer um chocolate, ela decidiu. Assim eu me animo. E, se o furacão arrancar o telhado, pelo menos eu não vou junto.
A estranha misteriosa, fala umas frases um pouco ilógicas e deixa os pequenos bem curiosos com seu jeito de ser. Ela é bem peculiar e diz que se perdeu um pouco do caminho devido o tempo, mas que iria descansar só um pouco e depois continuaria o seguindo em frente. Ao ir embora, ela solta: "O tesserato existe, sim".

Aquilo deixou Meg e Charles com uma pulga atrás da orelha. Eles sabiam que seu pai andava experimentando algumas coisas na quinta dimensão, quando sumiu misteriosamente. Os deixando sozinhos com a sua mãe. Aquilo os deixou meio perdidos. Meg sempre teve a esperança de reencontrá-lo, pois ninguém poderia sumir deste jeito. Seu pai jamais os abandonariam, como muitas pessoas acreditavam. Sua mãe, sempre teve consciência de tudo que eles faziam e que ele um dia voltaria. Charles, ainda era um bebê quando ele se foi sem deixar nenhum rastro. O que ele sabia, era apenas o que diziam pra ele, mas ele o amava. Afinal de contas era o seu pai.

Meg e Charles sentiam muita falta dele e sabiam que sua mãe sofria com a sua ausência e que seus dois irmãos gêmeos também sentiam, mas não demonstravam tanto, talvez para eles era mais difícil.

Foi então que eles dois se juntaram com seu amigo Calvin para traçar uma forma de encontrá-lo e com a ajuda das três figuras peculiares que conheceram, chegou o momento de partirem para uma jornada perigosa pelo tempo e espaço. Essa viagem mudaria a vida deles para sempre. Que perigo os aguardavam? Será que seu pai sumiu mesmo e foi sequestrado? Ou apenas os abandonou? Que leitura, meus caros.
O que poderia haver de tão terrível numa sombra que ela sabia que nunca houvera ou voltaria a haver, algo que a daria calafrios que iam muito além do tremer, muito além de chorar e gritar, além da possibilidade de reconforto?
Eu jamais imaginei que me sentiria presa numa história, como fiquei presa nesta. Eu viajei junto com os personagens. Corri perigo junto com eles. Tive medo e fiquei insegura junto com eles. Também experimentei de sua coragem e ousadia para enfrentar tudo que veio pela frente, depois que eles deram o salto no tempo. Em uma linha delinear, pela quinta dimensão.

Eu gostei muito de Charles Wallace. Um garotinho de apenas 5 anos com uma mente fora do comum e extremamente inteligente, ainda que não soubesse ler por completo. A sua mente era brilhante e eu fiquei impressionada com seus diálogos incomuns. Ele foi importante demais para os acontecimentos e os desfechos deles. Apesar de ser muito novo, tinha um instinto de sobrevivência muito forte, e não media esforços para ajudar sua irmã e amigo a passar por tudo aquilo que passaram.
-Mas Charles Wallace não parece diferente de ninguém.
-Não, Meg, mas as pessoas são mais que a aparência. A diferença de Charles Wallace não é física. É na essência.
Meg, uma menina que tinha suas inseguranças, mas que tinha uma coragem fora do comum. Seu desejo por encontrar seu pai era muito forte, e ela queria muito saber o que aconteceu. Por mais medo que sentia, principalmente de se perder de seu irmão e Calvin, ela tomava decisões rápidas e de extrema coragem para seguir em frente. 

Calvin, é o tipo de garoto estranho que rapidamente faz amizade com os irmão e quando percebe, está junto com eles nesta aventura. Ele demonstra fibra e pés no chão. Ele demonstra foco e a cabeça no lugar, para não deixar Meg enlouquecer e Charles ficar com a mente tranquila. Ele faz o laço de amizade entre eles, ficar forte e durável. Ele é um ótimo amigo. Eu gostei muito que ele fez parte desta história.
-Acho que é igual àqueles olhos mágicos que têm nas portas dos apartamentos - explicou Calvin. -Você sabe. De dentro você consegue enxergar e tal. Mas de fora não dá para ver nada . Temos como vê-lo, mas ele não tem como nos enxergar.
A escrita de Madeleine é simples e fluida. Tem umas partes, que eram mais de cálculos, que me perdi um pouco, mas nada que um dicionário não me ajudasse rs. Fora isso a leitura se deu de forma rápida e de fácil entendimento. Ela soube desenvolver a personalidade de cada personagem e saber diferenciá-los pelas suas peculiaridades. Isso me chamou muita atenção e me fez gostar ainda mais da história. 


A diagramação do livro está simples, mas muito linda. A Harper Collins está de parabéns. O livro é de capa dura, com folhas amareladas e fonte de tamanho médio bem confortável para a leitura. Não me recordo se encontrei algum erro de revisão.

Eu recomendo demais a leitura. Foi algo muito legal de se ler. Então para amantes de ficção científica,fantasia, relações de amizade e familiar temos uma leitura que prende o leitor do inicio ao fim. 

Aproveito para comemorar junto com todos os leitores o dia mundial do livro e do direito do autor!!!! Um xero!!!!
[...] mas uma coisa que aprendi é que você não precisa entender as coisas para elas existirem.


Suas Escrituras - Não me Arrependo - Diana Canaverde

Olá pessoas, tudo bem?

Enquanto eu não encontro e não recebo nenhum texto para postar na coluna, eu vou seguindo publicando algumas coisas que eu escrevo.

Sinceramente acho que não escrevo muito bem, mas sempre me vem sentimentos estranhos e a minha mente começa a fervilhar e de repente sai algumas coisas. As minhas inspirações podem vir de qualquer lugar, pessoas, acontecimentos ou situações. E quando percebo, lá estão as palavras formuladas vindas de minha mente louca e coração em frequente turbulência. 

Este texto, veio quando eu fui ao banheiro escovar os dentes rs. Lembro-me que era meia-noite e eu sentei em um banquinho que temos lá dentro e comecei a mexer no celular. Queria escolher uma música, porque sou dessas que escova dentes ouvindo músicas, me julguem rs. Ai lembrei de uma pessoa que passou por minha vida e disse que mesmo distante nada iria mudar, mas eu sabia que isso iria acontecer em qualquer momento, e que com os dias se passando esta pessoa iria me esquecer aos poucos, mas tudo bem, porque eu sei, que de alguma forma deixei minha marca em sua vida. 

Imagem retirada do Google.

Não me Arrependo
por Diana Canaverde.

Eu não me arrependo.
Simplesmente não me arrependo de ter te conhecido.
De ter me aproximado de ti, quando ninguém ainda te notava.
Não me arrependo de sorrir pra ti, quando ninguém achava graça.
Não me arrependo de olhar pra ti, quando ninguém ainda nem se quer te olhava.
Não me arrependo de tocar em ti, ainda que fosse de maneira involuntária.

Eu não me arrependo.
Dos dias que se passaram e dos momentos que se intensificaram, 
ainda que fosse apenas na minha mente.
Não me arrependo, de ter sentido ou de sentir isto por ti.
Não me arrependo de não compreender do que se trata.
Porque sei que amor, pode ser sentido de várias formas e o que sinto, é uma mesclagem de tudo isso.
Quando olho para o céu, vejo a distância que há entre nós de apenas algumas horas.
Mas que parecem quilômetros agora.
Não me arrependo de ter me perdido nas palavras e não te dizer com todas as letras o que sinto aqui dentro.

Eu não me arrependo, de amar o teu sorriso e sonhar com a melodia do som de sua voz.
Não me arrependo de querer estar contigo em todos os momentos, ainda que não possa estar em todos eles e agora, menos ainda.
As lembranças serão sempre as minhas aliadas, para que sua ausência, fique menos dolorida, mas ainda não me arrependo de ter você na minha vida apenas por pouco tempo.
Sentir isto que eu sinto, é algo grande e mesmo sabendo que é muito pra ti, eu não me arrependo, por você ter ficado perto de mim quando faltava pouco tempo para você partir.

Eu não me arrependo de ter tido medo.
De ter sentido insegurança.
De ter me afastado e novamente me aproximado.
De ter te chamado no Watts.
Não me arrependo das mensagens que escrevi, mas que me faltaram coragem  de enviar e em seguida apagar.
Não me arrependo de ter escrito tantas outras e te enviado, e você tentar me dar atenção ou das vezes que me senti frustrada porque não recebi uma resposta que eu esperava.

Eu não me arrependo dos momentos em que passamos juntos, mesmo que não estivéssemos sozinhos.
Não me arrependo de ter feito você sorrir. 
Nem da força pra você seguir em frente e,
muito menos de acreditar em você.
Eu jamais vou me arrepender de tudo que me fez sentir, 
da forma como meu coração balançou por ti.
Mas principalmente, 
Eu não me arrependo da forma que você passou a existir dentro de mim.


Bom pessoas, é isso. É algo bem simples, mas carregados de sentimentos verdadeiros. O tempo sempre nos leva para onde temos que ir, ainda que no momento a gente possa achar que estamos fazendo uma escolha errada. O tempo aconselha sem que a gente perceba e Deus nos guia com sabedoria. Basta que acreditemos em algo maior e possamos sempre ter fé.

Se você tem um texto, poesia, frases inspiradoras de sua autoria e queira dividir com o blog e os demais leitores, podem me enviar um e-mail, que irei postar com os devidos créditos. E-mail: diana.canaverde30@gmail.com. Assunto: Suas Escrituras.

Um xero!

Resenha #429 - Os Últimos Meses da Sua Vida na Terra - Jhefferson Passos


Título: Os Últimos Meses da Sua Vida na Terra
Autor(a): Jhefferson Passos
Editora: Amazon
Páginas: 10
Nota: 4/5 
Olá tudo bem com vocês?

A resenha que trago hoje, é um dos últimos contos lançados pelo autor Jhefferson Passos.

Neste conto o autor narra a gestação desesperadora de Deborah, que vive em um Planeta Terra que está mais caótico do que o que vivemos.

Ela passa sua gestação em seu apartamento sozinha. Abandonada pelo pai do bebê, fala apenas com seus pais e seu médico obstetra, que passa todas as recomendações que ela precisa ter por telefone. 

O motivo?

Fenômenos estranhos estão acontecendo no oceano. Há diversos relatos de desaparecimentos associados a abduções alienígenas. E tudo que Deborah pode fazer é acompanhar as noticias cada dia piores pelos noticiários, que só tornam suas esperanças cada dia mais mortas.
Nos últimos dias, a internet enlouqueceu com histórias de abdução vindo da nave pairando quinhentos metros acima do oceano. Supostos vídeos de pessoas abduzidas ou da aparição dos alienígenas da nave surgiram no YouTube de hora em hora.
O que acontecerá com Deborah e seu bebê? 

Somente fazendo a leitura para vocês descobrirem.
Sem esforços físicos. Beba bastante liquido. Sem ultrassom. Sem exames. Apenas recomendações até essa loucura passar.
E se não passar?
Eu gostei muito desta leitura, o Jhefferson é ótimo em criar uma aura de mistérios em tudo que ele escreve, e não é diferente neste conto, que é extremamente agoniante. Para vocês terem uma ideia esse conto não tem capítulos, mas os acontecimentos são separados pelos meses gestacionais da protagonista, trazendo uma sensação desesperadora de contagem regressiva.

O único defeito é ser tão curtinho. Quando a coisa ficou boa ele acabou e eu fiquei com aquela sensação de quero mais.

Caso você ainda não tenha lido nada do Jhefferson, eu recomendo que você pare tudo o que está fazendo e procure seus trabalhos na Amazon, e garanto a vocês que ele ainda vai nos surpreender e muito com suas estórias.



Espero que gostem e até a próxima resenha.

Resenha #428 - Estranho : Sobre os Desejos Estranhos em Nós - Bruno Godoi


Cedido em parceria com o autor
Título: Estranho (Sobre os Desejos Estranhos em Nós)
Autor(a): Bruno Godoi
Editora: Amazon
Páginas: 180
Nota: 5/5 Favorito!

Olá, tudo bem com vocês?

Está no ar hoje a mais nova coletânea de contos do autor Bruno Godoi : Estranho : Sobre os Desejos Estranhos em Nós.

O autor nos transporta para diversas épocas nos fazendo viajar em estórias literalmente estranhas, ora como criaturas sobrenaturais que existem nas conhecidas lendas urbanas, ou ora como humanos marcados por uma vida de sofrimento, onde no fim todos lutam pela mesma coisa, se livrar da dor que sentem.

Esta antologia é muito especial para mim, pois eu participei da leitura critica de todos esses contos, ao longo de quase dois anos, e tive a honra de fazer o prólogo do livro, fora que a protagonista do último conto (Sexo e Vísceras), leva meu nome, e foi uma forma fofa e torta já que o conto é de terror do Bruno, de homenagear a blogueira aqui em questão.



Pois esta não é a minha história, é a de minha primeira amante.
Primeiro viajaremos ao ano de 1431, no conto Demônio de Valáquia, e conhecemos a fundo a vida quando ainda humano de Drácula e seu tórrido romance com a Dama de Preto, uma mulher misteriosa que faz visitas periódicas no castelo, afim de trazer escravos. Ninguém sabe seu nome e nem de onde ela veio, e é normal que em sua presença vidas sejam ceifadas.
Depois desse primeiro encontro com a Dama de Preto, comecei a contar luas, esperando pelo próximo dia triste do próximo outono, para ir ao campo ... ver sua pele.
Neste conto o autor abre a coletânea narrando uma história forte, que pode abalar o coração dos mais tradicionalistas, lembrando a todos que criaturas bestiais não medem esforços para conquistar seus objetivos, principalmente quando envolve o amor.

Você ainda não estará recuperado quando começar a ler Maggie Wall, em 1857. Mas este conto lhe ajudará a refletir sobre o sofrimento das mulheres na época da Inquisição, trazendo empatia pelo personagem.
A imagem da dor está presa em mim. Ela é minha única companheira hoje. Mas, por sorte ... só vejo. Sentir? Não, não sinto nada há dois séculos ...
Maggie é condenada como bruxa e queimada em um fogueira, mas por motivos de força maior ela continuou viva e agora marcada por dores e sofrimentos que passou nas mãos da humanidade, começa uma longa jornada à Escócia, seu pais de origem, relembrando seu passado.
Morri naquela noite luminosa de 1657 e acordei três semanas depois, suspensa num balanço, sem a pernas e sem as mãos, a cabeça tombada para o lado. O que sobrara do meu rosto ficou colado na pelo do ombro.
Mas devido há uma paixão, Maggie também se tornou em parte humana, e tem sentimentos bons dentro de si. Que travam uma guerra interna de sentimentos contraditórios, e ela terá que ponderá o que mais valerá a pena, a vingança ou a redenção.
Apesar de tudo, ainda tenho um carinho pelo lugar, e preciso queimar tudo.
Não estranhe, se em 1917, você sentir vontade de colocar uma camisa de força após ler Orgia Russa: este, é um dos contos mais insanos e polêmicos do autor, e não poderia ser diferente já que o conto foi inspirado em Grigori Rasputin, trazendo também para o conto a problemática esposa de czar Nicolau II - Alexandra. 
Os guardas embalavam o vaivém da nossa orgia escandalosa com ópera russa. Sinfonias e ballets. 
Alexandra vive dentro do hospício em meio a uma guerra, e entre seus devaneios, se apaixona pela Boneca da Igreja, aquela que deveria expurgar todos os males que habitam aquele lugar.
De toda forma, aquele crucifixo sabia que o Senhor amava as próprias criações, mas se sentia temeroso, pois nas mansões do norte Ele era chamado apenas de Boneca da Igreja.
As vozes que vivem dentro de sua cabeça a avisam que ela é especial, e que somente ela e a boneca, poderão salvar a todos da loucura. Só que talvez, já seja tarde demais...
As vozes no meu estomago não paravam de reclamar da fome que viria no frio; peguei várias coisas da cozinha do refeitório e amontoei num balde, seria suficiente para preparamos receitas com os dedos dos soldados.
A insanidade ainda baterá forte dentro da mente de vocês, quando vocês estiverem em 1960. No Acre. Dentro da Mata Amazônica. Mais precisamente no Sanatório Amazônico, onde experimentos acontecem e um homem marcado por abusos sexuais e psicológicos cometidos pelo diretor do local, precisa combater seus demônios internos para salvar a sua pele.
Eu espremia os ouvidos para evitar qualquer informação sobre tribos primitivas e geoglifos, Nunca me interessei pela possibilidade de encontrar indígenas armados com artefatos milenares que poderiam me degolar num instante.
Só que ele ainda não sabe que ele é a peça fundamental para resolver o mistério ocultado nas matas, e que seu percurso será longo e doloroso.
Às vezes, ouço vozes pela mata; sei que são os integrantes do Demônio Amazônico cantando o hinário da seita, seguido por tambores e flautas. Eles me chamam sempre. Mas por que diabos um bando de nativos iria andar pelo mato me convocando.
Respirem fundo, e sejam bem vindos a 1972, e ao que vocês presenciaram em Bloody Sunday. Neste conto, vocês conheceram dois meros humanos, Márcia e Pedro, que sofrem de um dos sentimentos mais comuns na humanidade -  a ganância.
É nossa chance de conseguir a grana do casamento. Só entrar, pegar o caderno e sair. Depois vamos vender na igreja e pronto, eles já separaram a grana.
E esta ganância os levará ao cemitério São Lázaro, onde reza a lenda, que em um mausóleo está guardado a Bruxa de Ipanema. O casal tem como missão adentrar dentro da cova, pois acreditam que dentro do caixão está o Livro Amarelo - um livro poderoso que eles acreditam que trará muito dinheiro ao ser vendido para igreja.

Intercalado com o presente, somos levados também ao passado, e conhecemos a história de Bárbara. Uma mulher voluptuosa, casada com um homem extremamente rico. Tinha um amor secreto com um comerciante, com noites regadas a muitas orgias que foram chamadas Aliança Amarela e o local escolhido para o coito foi denominado como Salão do Prazeres, em provocação à imagem da santa Nossa Senhora dos Prazeres, até que seu esposo a flagrou em ato sexual com diversos homens e ateou fogo no local, matando a todos.
O sexo virara uma obsessão. Aos poucos introduziram grupos de jovens garotos no ato, dezenas deles - todos ao mesmo tempo -, fantasiados com uma túnica amarela e uma máscara cênica.
Porém após a suposta morte de Barbara, todo o escândalo veio à tona, incluindo que a mulher era uma infanticida, torturando crianças até à morte e se banhando em seu sangue. Aparições foram relatadas durante o decorrer dos anos, mas para Márcia e Pedro, isto não passa de uma lenda idiota.

Será mesmo?
"Estamos ilhados aqui, Edgar", reclamou a voz no aparelho, "ninguém entra ou sai enquanto as aves não forem retiradas".
Em 2010, mas precisamente na Ponte dos Corvos, vocês se depararam com o nojento e machista Edgar Allan Poe. Um alcoólatra que maltrata constantemente sua esposa Virginia, com abusos psicológicos.
- Esse é o problema, você come demais. Devia fazer a porra da dieta para me deixar pelo menos um pouco satisfeito ...
Mesmo sabendo que vive uma relação fadada ao fracasso, Virginia sonha em ser mãe, e tem como paixão estudar aves, principalmente corvos. Essas aves simplesmente se proliferaram de uma maneira absurda na cidade onde vivem e é um mistério o motivo que as trouxeram para lá.
... na França antigamente o povo acreditava que os corvos eram a alma de freiras e padres pecadores. E que na Alemanha era a reencarnação das almas condenadas e até do próprio Diabo.
Virginia não tem a minima ideia do quanto os corvos absorvem sentimentos, tanto bons como ruins, inclusive, os dela.

E por fim, após sair ileso da ira dos corvos, em 2017, você será convidado especial para ir ao Theatro Municipal, assistir Sexo e Vísceras, no qual a segurança Verônica será obrigada a combater forças sobrenaturais que querem possuir seu corpo.
Morrer é ruim, mas morrer de novo é pior, e enquanto elas não tirassem o que queriam de dentro de mim, eu sabia que continuaria morrendo.
O autor trouxe conto em dois tempos - passado e presente, para entendermos os motivos que fizeram com que a protagonista fosse atormentada por demônios, de uma criança inocente que sofreu abusos dentro de casa e viu o mau dentro de uma família envolvida com o ocultismo a uma assassina em busca de sobrevivência, narrados de uma forma frenética, aonde não sabemos se podemos ou não torcer pela personagem.
"Mas ela não suportou a verdade e tirou a própria vida, deixando a maldade entrar na Verônica (...) ela é o demônio hoje".
Porém neste conto, sobreviver não significa obter a salvação.
.. meus olhos arderam tanto que lacrimejaram sem controle. Depois disso, só posso dizer que vi a desgraça no Theatro Municipal de São Paulo - vi e fui a causadora.
Estranho, é um livro que vai causar diversos sentimentos, seja revolta, raiva, amor, asco ou empatia. 

Você vai torcer muito por alguns personagens, como também, vai desejar à morte de outros. E essa é a intenção desta colenatanea: provocar em você as sensações mais estranhas que você pode sentir, libertar amarras do teu subconsciente, a fim de provar que não é errado, ser estranho.



Espero que gostem e até a próxima resenha.



Caixinha do Correio #18


Olá pessoas, tudo bem???

Hoje eu venho com os últimos livros recebidos de Janeiro até meados de Março. Eu preciso melhorar um pouco minha caixinha do correio e publicar com mais frequência rs.

 Tá meio torta a foto, mas eu tenho problemas de coordenação às vezes, ou sempre rs.
Eu participei de um evento literário promovido pela parceira Aberst e na troca de livros, peguei esta trilogia que tanto eu quis e nunca consegui comprar haha.

 Aqui estamos entre compras e ganhos.  
Só Escute da Sarah Dessen, só pelo nome já digo que queria o livro, será o terceiro que leio e tenho dela, o primeiro li para fugir de minha zona de conforto e me apaixonei pela escrita.
Fábrica de Líderes, ganhei da empresa, vai ser um livro que fugirá totalmente de minha zona de conforto e que não irei ler por obrigação da faculdade.
A Força eu já tinha, mas este eu ganhei em um sorteio no insta da Mari Scotti e autografado, quase surtei, porque queria ter ido conhecer a autora, mas eu tinha a Comic Com pra ir rs.

 Ah estes foram comprinhas recentes. Desde que vi este título fiquei louca para ler. Ainda que fuja um pouco de minha zona de conforto, eu realmente queria. Esta edição é de capa dura e não paguei caro. Eu já li, em breve teremos resenha de Uma Dobra no Tempo. Ainda preciso assistir o filme, mas ta difícil.

 Ahhhh estes também foram compras um pouco recentes por assim dizer rs. 
Eu comprei Tudo que Acontece qui Dentro, porque eu ia no lançamento e depois que a migs Verônica não parava de falar dele e nem de me enviar quotes, ficou impossível não querer rs. E estou amando a leitura.
Exo, já venho namorando faz um tempo e finalmente consegui comprar. 

Estes lindos eu ganhei da minha BBF de todos os tempos Verônica. Cara ela sempre acerta. Parece que está na minha mente rs.

Este eu recebi de parceria com a Faro Editorial e quem leu foi a Verônica, para quem acompanha o blog já tem resenha.

Este também recebi em parceria com a Faro Editorial. As fotos estão separadas, porque a pessoa aqui esqueceu de tirar foto junto antes de enviar o da Veh, mas vale né. Atualmente estou lendo e gostando muito, então em breve teremos resenha.

Por enquanto é só pessoas, um xero!!!

Resenha #427 - Encanto - Jéssica Macedo

Livro cedido pela editora

Título: Encanto #2
Trilogia Mística
Auto(a): Jéssica Macedo
Editora: Mundo Uno
Páginas: 290
Nota: 4/5
Resenha: Magia #1

Olá pessoas, tudo bem?

Hoje eu venho com mais uma resenha em parceria coma Mundo Uno Editora. A Trilogia Mística escrita pela Jéssica Macedo.  A autora já tem outros títulos publicados como: Vale das Sombras, Brincando com Fogo, A Travessia e etc...

Em Magia temos a introdução da história e conhecemos Annabelle, uma garota de 16 anos que anda escondida através de seus blusões com capuzes, pois é chamada de aberração, devido seus olhos serem lilases, uma cor diferente do que é considerado normal. Ela sofre na escola e odeia estar lá. Mas, com a descoberta de seus poderes, as coisas começam a ficar mais claras e ela começa a compreender melhor as diferenças em seu corpo e em sua vida. 

Em Encanto, as coisas finalmente parecem dar certo para ela. Agora sabendo quem realmente é e com a ajuda de seu pai e mentora, Annabelle começa a controlar melhor seus poderes e também se sente em casa na Dimensão mágica e não precisa se esconder. 

As coisas caminhavam bem entre ela e Richard, eles estavam em completa sintonia, até Ryan aparecer e as coisas mudarem completamente. 

Afinal de contas, seus olhos lilases, encontraram  aqueles olhos alaranjados e parece que tudo poderia fazer sentido, se sua voz interior não gritasse: Perigo!!!

Não posso falar muito, porque posso terminar soltando um spoiler básico. Mas, quero dizer que adorei este segundo livro e foi tão bom quanto o primeiro.

Neste livro senti a escrita de Jéssica mais madura e bem melhor desenvolvida. Os detalhes dos ensinamentos que Liza (mentora) de Annabelle passa pra ela, é bem detalhado, mas sem nenhum exagero. A impressão que dá é que você também está lá aprendendo junto com ela. 
-Rosas negras. Flores com uma beleza única. Possuem um perfume delicioso, mas podem ser bastante perigosas. Apenas uma aspirada no perfume dessa flor e você é mandado para a terra dos pés juntos sem direito a passagem de volta.
Dei dois passos para trás. Bonita, mas muito perigosa.
Eu gosto muito de Annabelle, não sei porque senti uma sintonia com ela e se ela existisse acho que nos daríamos muito bem. Ela não é medrosa, mas gosta de reclamar as vezes, mas é típico dos adolescentes, eu bem sei disso, porque tenho uma assim em casa haha. Ela é altruísta, se preocupa com os outros, por mais que não mereçam e dá a cara para bater, se precisar. A única coisa que a contém, é enfrentar os colegas da escola, porque se ela pudesse usar seus poderes, ela faria muitas coisas interessantes com cada um que a fez sofrer, mas nada de vingança, só um ensinamento pra vida.

Os desafios que foram aparecendo, fizeram com que ela crescesse e passasse a confiar mais em seus instintos. Porque eles gritavam pra ela, mas pela sua inexperiência, ela deixou passar batido.

Eu gostei muito da história. Adorei o desenvolvimento dos personagens. Achei a relação dela com Liza uma coisa super divertida. Adorava as partes em que elas discutiam, pareciam mais duas irmãs birrando uma com a outra. A Relação com o seu pai melhorou e ela passou a confiar mais ainda nele. Acredito que Feitiço, o terceiro livro será muito crucial e eu torço pra que o desfecho seja tão bom quantos os dois primeiros foram. 
Não acordaria pela manhã se Liza não tivesse pulado em cima de mim. Tive vontade de voltar para o caloroso útero de minha mãe e não sair de lá nunca mais.
A Jéssica conseguiu me surpreender com os momentos finais, eu jamais imaginei que fosse acontecer aquilo, muito bom isso. Adoro ser surpreendida positivamente em uma leitura. 


A diagramação do livro é simples, mas muito bonita e bem produzida. Eu fiquei encantada com os desenhos nas páginas e em cada começo de capítulo. A capa é bem condizente com o que a história quer contar. As folhas são amareladas e a fonte em um tamanho médio perfeito para uma leitura rápida e de fácil entendimento. Encontrei raros erros de revisão, mas nada que atrapalhe a leitura.

A única coisa ruim foi mais uma vez a entrega dos correios que simplesmente entregaram meu livro que nem a cara deles. Ou seja, meu livro veio úmido e amassado, até algumas lágrimas saíram, porque ficou muito feio. Fiquei até com vergonha de sair com ele na rua. Pensariam que seria falta de cuidado meu, ainda mais eu que sou a louca dos livros rs. 

No mais eu recomendo demais a leitura. Para quem gosta de fantasia leve, com pitadas de humor e uma personagem bem divertida, este livro é para você, aliás a trilogia. 
Eu estava em um campo de relva negra. O vento frio cortava minha pele. O lugar me parecia familiar, mas era assustador demais. Espere... Eu estava na Dimensão Mágica, no campo de margaridas cantantes! Tudo ali costumava ser verde, com cheiro gostoso de orvalho da manhã. Agora, fedia como uma coisa se decompondo. 
Quem já leu? Quem pretende ler? Deixem seus comentários!! Um xero.

Leituras de Março!



Olá pessoas, tudo bem?

Eu estava com reforma em casa, então o último mês, foi bem difícil de fazer postagens no blog, até porque pelo celular é meio zuado, então, estou voltando aos poucos e com muitas postagens acumuladas rs. 

Em fevereiro não consegui pegar nada e fiquei presa em apenas um livro que se estendeu para Março.

Terminei de ler este livro e fiquei com uma ressaca daquelas, mas morrendo de vontade de ler o próximo, só não sei quando vou poder comprar rs. Em breve resenha dupla minha e da Verônica.

Ah este livro amorzinho que me preencheu completamente. Já temos resenha no blog, foi uma leitura maravilhosa.

Este livro foi uma grande surpresa pra mim. Eu li muito rápido porque me senti presa do inicio ao fim. Adorei a leitura. Em breve teremos resenha. 

Estas foram as minhas leituras de Março e a de vocês?
Um xero!

Resenha #426 - Rio Vermelho Amy Lloyd

Cedido em parceria com a editora

Título: Rio Vermelho
Autor(a): Amy Lloyd
Editora: Faro Editorial
Páginas: 276
Nota: 4/5
Finalmente, o corpo de Holly Michaels foi encontrado. Suspeitaram de tios, padastros e homens solitários. Imaginavam um monstro, um psicopata que tinha os ossos das garotas enterrados sob cimento em seu porão, que guardava as pulseiras delas penduradas num prego em seu armário. 
Olá, tudo bem com vocês?

Hoje a resenha é sobre um dos mais novos lançamentos da Faro Editorial, titulado como Rio Vermelho da autora Amy Lloyd.

Eu estava louca por esse livro, desde que a editora divulgou a sinopse, o que aumentou ainda mais após saber que o livro já foi premiado e se tornou rapidamente um dos mais vendidos na revista Veja!

Rio Vermelho é um trhiller psicológico, que conta a estória de um casal peculiar: Dennis e Samantha.
É estranho que as pessoas saibam tanto a meu respeito. Acho que elas sabem mais de mim do que eu mesmo.
Dennis está preso há mais de vinte anos no presidio de Altoona, nos Estados Unidos, pelo assassinato de uma garota de onze anos, chamada Holly Michaels e é o principal suspeito do desaparecimento de outras garotas, que nunca foram encontradas. Porém nunca existiram provas contundentes que Dennis seja o assassino frio e cruel, mas mesmo assim, com fracos indícios ele foi preso aos seus dezoito anos, deixando em choque a cidade de Red River, com uma população mundial dividida.

Ao longo desse tempo, Dennis sempre teve o apoio de Carrie, uma grande amiga que é responsável por um documentário de crimes reais e faz um grande sucesso. Dennis tem diversas pessoas que o apoiam e pedem que seja aberto novas investigações, pois acreditam fielmente que ele é inocente. Inclusive artistas como Angelina Jolie e Johnny Deep apoiam à causa.

E também tem a Samantha.

Sam mora na Inglaterra e é obcecada pela história de Dennis, já assistiu documentários, leu livros, sempre acessa fóruns na internet dos apoiadores de Dennis, e resolve lhe escrever uma carta mostrando o carinho que tem por ele e quanto torce para que ele seja solto. Para a surpresa de Sam, Dennis a responde. Uma amizade entre cartas é formada, até se tornar um relacionamento. E com o apoio de Dennis, Samantha vai ao encontro de seu amado, deixando para trás seus amigos, trabalho e família.

Entre carinhos e juras de amor, separados pelo vidro da sala de visitas, Dennis pede Sam em casamento e ela aceita. Se tornando noiva de um dos criminosos mais conhecidos da história e precisa ter forças para superar todos os obstáculos que terá que enfrentar para viver esse amor.

Afinal de contas Dennis é inocente. Não é?
- Bem, na verdade, sou amiga de Dennis. Se bem que estou mais para namorada.
(...)
- Não há assassinos na Inglaterra que você possa namorar?
Uma reviravolta ocorre no caso de Dennis, e encontram o verdadeiro assassino de Holly Michaels, sendo assim Dennis é libertado, mas a causa do desaparecimento das outras garotas continua um mistério não resolvido. 

Sam e Dennis, descobrem que são casados, mas não tem a menor intimidade, e para a decepção de Sam, Dennis é extremamente fechado até mesmo para fazer sexo com ela. Contudo ele se torna em pouco tempo uma celebridade, dando entrevistas, sendo convidado para ser garoto propaganda de marcas, pois é extremamente bonito, recebe presentes carissimos e cheques de artistas, fora o processo milionário que ganhou do Estado por sua erronea prisão.

Samantha ama seu marido e acredita ser amada por ele, mas ela é uma mulher que tem uma auto-estima baixíssima. É carente, ciumenta e tem dificuldades de acompanhar a rotina de estrela que seu marido tem. Ela sofre o controle de Dennis sobre seus gostos e modos, com os olhares acusatórios do marido, e logo  mais, com comportamentos impulsivos que começam a assustá-la, fora as saídas furtivas na madrugada que ele garante que é para fazer atividades físicas.

Mas, mesmo assim Sam é feliz. Até que motivos de força maior fazem com que eles tenham que voltar para Red River, vivendo na casa que Dennis cresceu. Uma casa velha, destruída e cheia de pichações contra Dennis. E  não demora para acontecer motivos para fazer a policia bater na porta deles.
O lugar estava em pior estado do que na última vez em que Sam esteve ali. No pouco tempo em que a casa permaneceu vazia, desprotegida, as paredes brancas descascadas foram pichadas com palavras em letras enormes, em vermelho - "ASSASSINO", "MATADOR DE CRIANÇAS".
Mas se Samantha confia nele, então por quê ter medo? Não é mesmo?
- Ei - Dennis sussurrou -, eu só estava brincando. Você está bem?
- Não. - Sam olhou para ele e se afastou.
- Não imaginei que você iria pirar desse jeito - ele disse, como se fosse culpa de Sam.
- Eu te pedi para parar! Eu estava gritando!
- Garotas gritam. - Dennis deu de ombros, num gesto de indiferença...
E Sam começa a refletir sobre suas escolhas.
De repente, Sam se sentiu muito só, como se o homem com quem se casou nunca tivesse existido e tivesse acordado para uma vida que não reconhecia, no meio de uma história que não entendia.
Em relação à diagramação, como sempre, à editora fez um trabalho extremamente caprichado, e a cada dia que passa fica mais difícil utilizar elogios sem ser redundante. Minha quota de vocabulário está chegando ao fim e serei obrigada a usar os sinônimos nas próximas. Tô rindo, mas é de nervoso hahahaahaha.



Eu li esse livro, o tempo inteiro desconfiada, e o devorei em poucos dias, a autora tem uma narrativa extremamente fluida, e conduziu com maestria todo o decorrer da história, trazendo um final impactante, satisfatório e audacioso. 

Rio Vermelho é um livro que vai te surpreender pelos fatos e decisões tomadas dentro dele, e ele te mostrará que uma relação pode nascer da forma mais abstrata, mas ao mesmo tempo ser extremamente oriunda. 
É algo que forasteiros nunca entenderão, porque não estavam aqui, não conheciam as famílias como nós e não conheciam Dennis. Não como ele era então, antes de vocês o tornarem o que ele é agora. Antes de ele aprender a se mostrar como presa, e não como o predador.
Espero que gostem e até a próxima.

Resenha #425 - Dança das Máscaras - Alane Brito, Bruno Godoi, Babi A. Sette, Joana Lancaster, Larissa Siriani e Veridiana Maenaka


Título: Dança das Máscaras
Autor(a): Alane Brito, Bruno Godoi, Babi A. Sette, Joana Lancaster, Larissa Siriani e Veridiana Maenaka
Editora: Increasy 
Páginas: 396
Nota: 4/5

Olá, tudo bem com vocês?

Na semana do Carnaval a agência literária Increasy, divulgou o lançamento da primeira obra literária lançada independente pela agência.

Para a antologia, foram convidados seis autores que são da casa, para compor contos relacionados as Máscaras dos Amantes.

As máscaras - nas cores branca e preta, rondam o mundo, e guardam uma lenda no qual ela tanto pode servir para o bem quando os amantes que a usam se amam verdadeiramente, como também, caso não haja amor verdadeiro, coisas terríveis podem acontecer, tudo graças a um simples beijo.

Os contos são ambientados no século XIX e tem como fonte de inspiração, o Baile de Carnaval.

Eu selecionei três contos que eu mais gostei da Antologia, para falar com destaque.

Um Beijo Basta - Larissa Siriani

O conto da Lari é o primeiro da antologia, e fica de certa forma responsavél a nos introduzir, sobre a importância das máscaras nesta antololgia, algo que a autora conseguiu conduzir muito bem.

Thereza está euforica com o balie que se aproxima, desde que conheceu Amaro, conta os dias para vè-lo novamente.

Eles trocam cartas com suplicas de amor, algo que ao ser descoberto pela mãe de Thereza, não é visto com bons olhos.
O que a filha de um mercador poderia oferecer ao filho de um barão? Tinhamos, algum dinheiro, é claro, mas ele tinha muito mais. Que união poderia surgir disso?
Thereza vai as compras com sua irmã, Brigida. E acaba encontrando um par de máscaras que a deixa encantada. As famosas máscaras dos amantes e resolve comprar as duas. Uma para si e outra, para Amaro.
Posso sentir a atração que emana delas preenchendo-me por completo. Nenhuma outra máscara chegará perto do efeito  que essa me causa. 
Mas não se esqueçam que para selar a felicidade do casal, basta um beijo, contando que haja amor verdadeiro de ambas as partes.

Eu gostei muito do desenvolvimento deste conto, e do caminho que ele tomou em seu final, me deixando bastante surpresa com uma Larissa Siriani que eu desconhecia a escrita, e gostei da forma que a autora conduziu a estória de sua personagem.

Amor Roubado - Joana Lancaster
Achou que eu seria mais civilizada? Perdão por desapontá-lo, ser mulher não me faz ser menos pirata. (Joana)
A personagem principal deste conto é Joana, uma pirata. Junto com seu pai ela veleja pelos mares e seu principal meio de sustento é roubar relíquias.

Joana tem em posse a máscara preta, e quer seu par para poder receber um bom dinheiro com a venda dela.
Piratas não lamentam, minha pequena, eles roubam conquistam e, o mais importante, permanecem vivos.
Está tudo aparentemente muito fácil para Joana. Eles sabem onde e com quem está a máscara branca, ela está na França, em posse de Lorde Filipi Bourbon. E Joana tem como missão ir ao baile, seduzir Filipi e roubar a máscara, algo que ela acredita que vai tirar de letra.
Por anos quis renunciar ás minhas origens.(Filipi)
Filipi carrega um peso gigante nas costas, ele é considerado um boêmio sem escrúpulos graças aos seus descendentes, e não é exatamente bem quisto pela sociedade, mesmo sendo um homem de bom carácter. Algo que não é nada preocupante vulgo que na época, os homens podiam fazer o que bem queriam, diferentes das mulheres, mas o deixava extremamente incomodado.
Mas se tem algo que aprendi, sendo um Bourbon, é que a sociedade não gosta de lordes de moral limpa e maculada, eles querem homens pecaminosos, sujos e desleiais.(Filipi)
Por um acaso do destino Filipi e Joana acabam se conhecendo de uma forma inusitada, e um vínculo instantâneo é criado sobre eles, mas será que esse casal teve um final feliz?

Confesso que pensei bastante sobre selecionar este conto como um dos melhores da antologia, porque eu odiei o final. Não por ele ser ruim, mas por não ter sido da maneira que eu queria, ou seja, sim... fui uma leitora frustrada, o que me fez ponderar, foi que eu gostei muito da personalidade dos personagens.

O som do coração - Bruno Godoi
Está chovendo; sei pelo roçar mais forte da lâmina de água na parede da cela. Não vejo o céu há quase duas semanas, é só me foram permitidos papel e pena hoje - o meu último desejo de condenado.
O conto conta a estória de Amadeus Wallace, um homem que tem dois grandes amores em sua vida. Sua mãe e a sua música. 

Em uma narrativa extremamente densa, poética e dramática, visto pela visão de Amadeus, temos dois tempos nesta estória - o presente, onde Amadeus está preso em uma masmorra há poucos dias de ser executado, escrevendo cartas para sua mãe, e o passado, onde entendemos o que o levou a estar naquela lugar, o elemento que se torna o terceiro e mais tenro amor de sua vida - a Lady Izie de Montesquieu. 
O culpado é o amor. E a máscara? Saiba que ela me deu e tirou o amor de minha vida com um beijo. Agourento foi o bilhete que veio com a máscara. "Para o bem ou para o mal, um beijo basta". E eu comprovei isso de forma bestial ao assassinar uma pessoa.
Amadeus se apaixona por Izie no momento que a vê tocando um alaúde. E se oferece a lhe ensinar a tocar outros instrumentos. Izie acaba aceitando a oferta e Amadeus se muda para sua residência a fim de lhe ensinar com mais afinco.

Acontece que Amadeus desconhece o real motivo de ser permitido pelo pai de Izie - o Barão de Montesquieu, que é porque quer que sua filha impressione seu noivo, o Lorde Leopoldo III, homem com o qual Izie não quer se casar, mas como costume da época será obrigada.

O Lorde nunca foi visto pessoalmente, mas Amadeus encontra um quadro, guardado em quarto e se depara com a face de um homem, que ele acredita ser um demônio.
O nobre austríaco, era a máscara da rubéola numa total desgraça, ou o burguês contraiu uma pestilência incurável na pele, talvez ainda no berço, ou o mesmo é a representação sanguínea do horror mais fundo no inferno.
A essa altura, já é reciproco o amor entre Amadeus e Izie, mas o tempo deles é curto, o Barão planeja um baile de máscaras em sua mansão para os noivos serem apresentados e Izie ir embora, e é nesta noite que o casal tentará escapar para serem felizes, mas os planos não saem como o esperado e agora resta saber o que ocorrerá com Amadeus dentro da masmorra.

Sem sombra de dúvidas O Som do Coração, foi o melhor conto da antologia, o que me deixou super orgulhosa do Bruno, e eu fico muito feliz em ver como a cada dia que passa ele se torna um autor mais dedicado e talentoso.

Ele conseguiu sair fora da casinha, e trazer uma estória extremamente instigante, com mistério, um plot twist incrível, e o que fez com o Lorde III me fez ficar de queixo caído. E mesmo que esta antologia não seja o seu gênero de leitura, eu recomendo que pelo menos dê uma chance para o conto do Bruno, pois ele ficou digno de um curta metragem.
Dizem que os primeiros amores não são os mais fortes em nós por nascerem da necessidade básica de ser ter algo a apontar como o primeiro amor, porém, penso que esse sentimento nada mais é do que uma demonstração de cuidado e afeto que passamos a ter por algo ou alguém, ou até mesmo algo abstrato como a música. Amor é uma semente que nos entusiasma.
Agora falando um pouco sobre a proposta da Increasy.

Uma coisa que deve-se ressaltar sobre esta antologia: Não pense que você terá somente contos leves e românticos, por ser tratar de uma temática carnavalesca, temos contos repleto de dramas, com personagens fortes, e até mesmo contos bem mórbidos e eu achei isso bem interessante.

Eu tenho alguns pontos negativos para apontar para agência, que me incomodaram bastante, por saber que esse projeto foi trabalhado por aproximadamente seis meses, talvez a minha concepção seja diferente dos responsáveis pela antologia, e sim, eu sei que não sou a especialista do caso, mas eu não poderia finalizar essa resenha sem estes apontamentos.

Primeiro é sobre a ordem que os contos foram colocados. Como comentei no começo da resenha, as máscaras tanto podem servir para o bem, como para o mal, e temos os dois lados da moeda neste livro, mas todos dos contos estão em ordem por final ruim ou bom, sendo que os quatro primeiros pendem mais para um lado e os demais para o outro, deixando uma certa obviedade na antologia conforme vamos lendo. Acredito que se os contos estivessem intercalados com finais bons e ruins seria mais proveitosos. Lembrando que isso é uma opinião totalmente pessoal de uma pessoa que tem ascendente em Virgem e tem tocs com algumas coisas.

Outro ponto importante é que ficou muito claro a estratégia da agência, de trazer duas autoras de peso maior na antologia por serem mais conhecidas, que foram a Larissa e a Babi, e acredito que foi intencional colocar uma iniciando a antologia - que foi a Lari, e a Babi finalizando.

Porém, na minha singela opinião, o conto da Babi foi um tiro no pé, para concluir o livro, devido a ser um conto polêmico e de cunho religioso. Não estou aqui criticando a obra da autora, mas o efeito que o conto dela causa não foi muito bacana, e isso afeta sim a antologia como um todo, por ser o ultimo, e me intriga a agência não ter tido esse feeling.

A minha nota foi dada, levando em consideração os demais contos da Antologia, mas se eu me baseasse no último conto, esquecendo os demais, com certeza a nota seria mais baixa.


Por fim, mesmo com os pontos que eu citei, eu recomendo a leitura, todos os contos foram bem trabalhados pelos autores, explorando bem os costumes, modas e estilos da época, e mesmo não sendo um livro perfeito, a leitura foi prazerosa.

Espero que gostem e até a próxima.