Resenha #222 - Vingança Mortal - Raquel Machado


Título: Vingança Mortal
Autora: Raquel Machado
Editora: Livro Independente
Páginas: 116
Nota: 4/5


Tentei lembrar porque me afastei dela, nós éramos tão amigas. Um sentimento de nostalgia tomou conta de mim e me recordei daquele dia em que muita coisa aconteceu e tudo pareceu mudar. Um dia que parecia ter acontecido há séculos atrás.

Antes gostaria de fazer um pedido de desculpas a autora, porque era pra eu ter resenhado o livro há bom tempo atrás, mas por ele ser fininho terminou se perdendo no meio dos outros livros... quando ia arrumá-los o via e separava, mas terminava esquecendo... mas, finalmente o peguei para ler... foi uma leitura bem rápida questão de uma hora.

Vingança Mortal vem com uma trama bem tensa e densa. Conhecemos os amigos inseparáveis de escola Ricardo, Eleonor, Luis, Alice, Nicole, Cristian e Brenda.

O livro é narrado ora por Brenda em primeira pessoa e ora em terceira pessoa. Gostei disso porque dá para saber um pouco da dimensão do acontece no todo e não só centrado nos pensamentos da protagonista.

Brenda nos conta em seu presente momento de vida, sendo uma mulher casada, com um marido dos sonhos e morando na cidade de Caxias do Sul, mas ela e seus amigos inseparáveis se conheceram na cidade de Lageado Grande. Eles na época da escola se davam bem, mesmo com as briguinhas corriqueiras de amigos que tinham, mas conforme cresceram, cada um foi seguindo um caminho diferente e tendo vidas diferentes.

As coisas começam a mudar quando Brenda recebe a notícia, de que sua melhor amiga Nicole, faleceu em um acidente. Ela não esperava por uma notícia daquelas, afinal de todos os amigos, ela era sua melhor amiga e conforme o tempo foi passando elas se distanciaram um pouco. Brenda se sentindo triste com o ocorrido foi ao enterro da amiga. Lá ela encontrou Cristian, pois até onde sabia eles estavam morando juntos, claro que conversa vai e conversam vem, começou a nascer a suspeita de que a amiga não havia morrido por acidente e sim assassinato, mas porque? E quem queria vê-la morta?? 

Mistério. Puro mistério. A partir daí as coisas começam a acontecer e Brenda se vê no meio de uma trama diabólica e sem muito sentido, onde as pessoas que ela pode confiar não são confiáveis e coisas que ela jamais pensaria que pudesse acontecer, aconteceram e que as pessoas realmente mudam para o bem ou para o mal.

Não posso falar muito porque o enredo é curtinho e eu tenho muito trauma de livros pequenos e para não soltar spoiler, prefiro falar da minha opinião. 

Eu li uma resenha desse livro e fiquei bem curiosa, mesmo ele sendo curtinho, porque geralmente livros curtos não são bem desenvolvidos e sempre me dão a impressão de que correm e eu sempre termino frustrada, por isso sempre evito. 

Mas com esse foi diferente, apesar de esperar algo que me deixasse frustrada, isso não aconteceu. Raquel, conseguiu trazer um história curta e bem enlaçada, não senti falta de nada. Ela conseguiu me prender e me fazer levantar suposições e quando eu achava quem era o culpado, lá vinha ela me dava um banho de água fria... só sei que ela gostar de matar personagem, então aviso não se apeguem rs.

Eu gosto dessa pegada de suspense e mistério e ela trouxe em poucas folhas uma história bem legal e apesar de ter terminado amarradinha, senti que ela poderia ter desenvolvido mais e criado uma trama bem mais densa ainda rs. Adorei a premissa, portanto, vejo que o livro teria potencial para mais folhas. 



A diagramação é bem simples. As folhas são brancas e com fonte do tamanho médio, mas a leitura é tão rápida e fluida que não me senti cansada. A autora lançou o livro de forma independente e teve a ajuda de alguns amigos. Não encontrei muito erros de revisão, na verdade eles foram bem raros. Só digo que Raquel tem talento para essa temática, já digo que ela poderia se arriscar mais.

Para quem curte uma leitura rápida, com suspense, mistério, um pouco de violência e alto grau de tensão esse livro é o certo. Indico a leitura!

À noite, quando ele deitou ao meu lado para dormir, demorei a pegar no sono, pois o telefonema de Nicole e sua voz desesperada por ajuda não saiam da minha cabeça.


Esse livro faz parte do Desafio Literário 2016 em que participo realizado pelo blog Devolva Meu Livro, Por Favor. O item 23 (um livro pequeno). Xero!

Novidades no Blog e sobre o Deadpool

Olá, pessoal. Tudo bem com vocês?

Hoje vocês vão descobrir um pouco sobre a minha pessoa, sobre o mundo Marvel e algumas outras coisinhas... espero que gostem!

Eu não era uma pessoa voltada para o universo HQ, até que no meio do ano passado eu vi a prévia do trailer do filme Deadpool; só com esse pequeno vídeo eu já me encantei por esse anti-herói e, desde então, aguardo ansiosamente a estreia desse filme - que será dia 11/02/16. Pouco depois, graças ao meu Personal Marvel/DC (meu noivo, que é fissurado nesses universos), ganhei as revistas do Deadpool e simplesmente me apaixonei, viciei. E finalmente 2016 chegou e já começou bombando, pois vi que a Novo Século irá lançar também em fevereiro o livro desse carinha - essa sacada da editora foi genial!

Imagem publicada pela Editora Novo Século no Facebook
Bem, com todas essas novidades tive uma ideia: sei que muitos não curtem HQs, que preferem livros, mas... e os filmes? Como em algumas resenhas anteriores fiz alguns paralelos entre filmes, livros e HQs e a resposta de vocês foi positiva, iremos ampliar um pouco esse conceito, pois esse comparativo era feito na resenha do livro ou da HQ.

A partir de fevereiro teremos resenhas sobre as HQs, sobre o livro, sobre o filme e, por último, um comparativo entre eles. A cobaia da vez será o Deadpool, mas tenho títulos como Guardiões da Galáxia e Guerra Civil (que ainda não saiu o filme, mas quando sair, farei), e como não sou fã apenas da Marvel, tenho pretensão de falar também sobre Os Instrumentos Mortais (livros, filme e série), e o bacana é que vocês terão não só a minha opinião, mas a da Diana também, pois ela já resenhou essa série aqui, então os posts relacionados prometem ser bem bacanas.

Essa será uma fase de experiência, por isso a opinião de vocês fará toda a diferença. O foco do blog é e continuará sempre sendo literatura, mas isso não impede de darmos nossa opinião de como ficaram as adaptações dos quadrinhos para os livros ou dos livros para filmes e seriados, não é? O que vocês acham?

Agora, falando um pouquinho do Deadpool: ele era um carinha comum, com câncer terminal (super básico, né? Só que não!) que só tinha duas opções: morrer ou ser cobaia do Projeto Arma (lembram do Wolverine? É o mesmo projeto). Mas durante o procedimento ele ficou surtado, louco de pedra mesmo, com o rosto todo lascado e, ainda por cima, com um poder de cura superpoderoso e rápido, de dar inveja até no próprio Wolverine.

Você pode até conhecer a S.H.I.E.L.D. como Superintendência Humana de Intervenção, Espionagem, Logística e Dissuasão, mas o Deadpool tem uma outra explicação. - texto publicado pela Editora (página Série Marvel Novo Século) dia 27/01/16 às 14:15 no Facebook.

A essência do Deadpool se baseia nas tiradas engraçadas, em seu jeito tagarela de ser e principalmente em sua loucura. Tudo isso se faz imprescindível para equilibrar o nível de sanguinolência e violência em geral.

Imagem publicada pela Editora Novo Século no Facebook
Apenas relembrando ou para quem não sabe: a Novo Século e a Marvel se juntaram para inovar e arrasar; elas estão lançando histórias do universo Marvel em livro. Algumas delas foram feitas exclusivamente para esse novo formato e outras foram apenas adaptadas. Já li alguns títulos dessa parceria e você pode encontrar as resenhas aqui no blog - é só procurar por "Marvel", ok?

Estou particularmente muito ansiosa para saber como está a adaptação da HQ para o livro, pois não são apenas as falas que nos fazem rir. As caras e bocas dele e os detalhes pitoresco nas cenas fazem a diferença. Um detalhe importante: depende do desenhista, pois há algumas histórias que nem te conto... deu vontade de tacar fogo nos olhos... aff! Bem, mas isso vocês acompanharão com mais detalhes nas resenhas da HQ que estão por vir, então não percam!

Imagem publicada pela Editora Novo Século no Facebook
Enquanto aguardamos os lançamentos, que tal conferir o 1° capítulo do livro? Link aqui.

E agora é com vocês: o que acharam das novidades? Estão curiosos para ver o resultado final? Quero muito saber a opinião de cada um de vocês!




Promoção: 2 Anos de Interesses Sutis


Olá, queridos leitores! Hoje o Interesses Sutis completa 2 anos de existência, e como já é de praxe, para comemorar essa data especial quem ganha é você, leitor. Para isso, os blogs Confraria CulturalReality of BooksO Diário do LeitorMinhas EscriturasMeu Vício em LivrosSeguindo O Coelho BrancoCidade dos LeitoresAmores e LivrosConjunto da ObraLost Girly GirlLivros e FloresGarotinha AdolescenteRevelando SentimentosSome Fantastic BooksLua LiteráriaThe Queen's CastleRelicárioDesbravadores de LivrosMeu amor pelos livrosEscritos e EstóriasLiteraleituraDicas de livrosThe book is on the tableSir James MatthewDa imaginação a escritaUm livro e nada mais se juntaram ao Interesses Sutis para fazer 10 kits com livros e/ou marcadores! Não deixe de participar.

Primeiras Impressões: O Sol Perdido - Luiz Henrique Mazzaron - Editora Arwen

Olá... pessoal, tudo bem??
Hoje eu venho com uma excelente novidade. Eu sou fã do autor parceiro de longa data Luiz Henrique Mazzaron, para quem não o conhece ele teve seu primeiro livro lançado no ano de 2013 - Máscara - e eu amei de paixão. Inclusive o livro foi uma das minhas melhores leituras. 

Agora meu queridíssimo autor está lançando mais um livro pela editora Arwen, e eu como leitora e parceira não podia deixar de garantir meu exemplar e enquanto o livro não chega, Luiz disponibilizou os 3 primeiros capítulos para essa leitora - ansiosa - que vos fala, trazer para vocês as minhas primeiras impressões.

Erik é órfão e faz parte dos Raposas Prateadas, grupo de ladrões infame do Reino do Norte. Em meio à tensão política e econômica vigente no reino, decidem fazer o roubo do século. O alvo? O castelo real.
Tudo parecia perfeito, mas as coisas não saem como planejado: a missão falha e o grupo de Erik é capturado. Seria o fim de todos, mas Aleshandra, rainha regente, revela que o rei Corben Leindrast desapareceu e propõe uma troca: a vida do bando pelo rei, ou simplesmente pelo anel real, indispensável para resolver a questão da sucessão do trono.
Sem escolhas, Erik parte em uma jornada tortuosa pelas terras de Illusa junto aos Raposas e a escolta da revolucionária princesa Taíssa Leindrast, desbravando terras perigosas e enfrentando de mercenários a grandes dragões.
Mal sabia ele que aquela aventura se desdobraria em algo muito maior e mais perigoso, que mexeria não só com suas crenças sobre aquela sociedade movida pelo poder e pela fé distorcida, mas também com seu coração solitário e com o destino de todos os povos.
Intrigas, traições, um romance proibido e o despertar de um mal antigo permeiam a busca pelo rei, abrindo caminho para aquela que seria conhecida como a mais fantástica das Lendas de Illusa.

Eu fiquei com medo confesso, quando o Luiz começou a dizer que estava em um novo projeto e começou falar dele em suas redes sociais e também em conversas que tivemos. Eu pensei: "De terror para livro fantástico, só ele mesmo para ousar". Só que meu pensamento também era: "Eu não costumo ler fantasia, mas como vou fazer? Eu adoro a escrita dele, vou precisar ler". Entenderam a parte do "precisar"? 

Eu não queria fazer por obrigação e nem só porque temos uma parceria, mas porque ele é um escritor e escreve e desenvolve bem a sua escrita. Pensei de novo: "Ele me prendeu em Máscara, não duvido que vai me prender e me surpreender em O Sol Perdido".

Que comecem os trabalhos. Terminei de ler os 3 primeiros capítulos agora e não resisti e já preparei a postagem. Quando vocês estiverem lendo a postagem, saiu hoje na Quinta, mas eu a preparei a meia noite de Terça.

Luiz vem com uma inovação de escrita, pulando do terror para a fantasia e as minhas primeiras impressões, já posso começar dizendo: Preciso do livro!

Eu curti as primeiras páginas e me senti presa no pouco do enredo apresentado, poderia ler um capitulo por dia, mas consegui? Não! O Luiz mais uma vez me cativou com uma premissa de história e que pode cativar muitos leitores que amam essa temática. Não dá para falar muito a fundo porque, simplesmente não cheguei a muito, mas pelo pouco que li, preciso saber dos acontecimentos afinal, um plano estava sendo elaborado e como o livro já começa com ação dos Raposas Prateadas, eu preciso urgente saber como ele se deu, porque já sei que algo errado acontece, mas eu quero saber como Luiz desenvolveu esse acontecimento.

Já tenho algumas suposições do que pode acontecer, porque quando a história já começa assim, a minha mente fervilha, então imaginem como estou? Ficando maluca de ansiedade é claro!

Ai você me fala, você falou da sinopse, mas é claro que não! Quando li os primeiros capítulos, nem tinha lido a sinopse ainda, somente depois, para ver se não estava contando algo demais. Mas o que posso dizer é que os personagens foram se mostrando fortes e cada um com a sua personalidade marcante. Isso pode mudar durante o enredo sim, pode, mas também pode ser que as coisas permaneçam e esses personagens cresçam e evoluam. 

Só sei que quando o terceiro capítulo acabou, pensei... como é que eu fico até o livro chegar? Ele poderia ter disponibilizado até a página 100, mas ai me conhecendo do jeito que eu sou, ainda não seria suficiente.

O livro é uma trilogia intitulada como As Lendas de Illusa. Eu curti muito esse nome e quero saber se a história é condizente com a capa e o título, então os convido a adquirir seu exemplar por um preço super acessível, na página da editora Arwen clicando AQUI.

E descubram vocês as aventuras que Illusa esconde e que leitores ávidos como nós desejamos vivenciar.

Por hoje é só queridos, espero que tenha curtido e deixem seus comentários com a sua opinião e se pretendem adquirir o exemplar, pelo pouco que percebi vale super a pena.

Sobre o autor:

Muito jovem e com uma mente brilhante, o autor vem conquistando fãs desde a publicação do livro “Máscara – A Vida Não é um Jogo.” Quem é fã de Jogos Mortais com certeza vai curtir muito. Estudante, buscou refúgio nos livros policiais e de suspense ao passar por um momento difícil durante o Ensino Fundamental. Sua motivação para escrever é acreditar  no fato de que os autores nacionais podem conquistar um lugar de destaque que hoje é dominado pela literatura estrangeira. Agora com seu mais recente lançamento "O Sol Perdido - As Lendas de Illusa" Luiz, mostra que sim, quando temos um sonho e desafiamos o nosso poder de conhecimento, podemos chegar onde queremos, podemos criar um mundo e fazer a nossa imaginação ir além das possibilidades.

Xero!!!

Resenha #221 - Shazam! - Geoff Johns e Gary Frank

HQ doado por Fernando Martins
Olá, pessoal. Tudo bem com vocês? Espero que sim.

Título: Shazam!
Roteiro: Geoff Johns
Arte: Gary Frank
Cores: Brad Anderson
Editora: Panini Books
Editora Original: DC Comics
Páginas: 194
Formato: HQ de capa dura
Classificação: 4.0

Na mente de alguns de vocês deve estar rolando uma pergunta: Shazam de novo?!? Sim, de novo e ao mesmo tempo não e já explico porquê.

Em 2012 a DC Comics resolveu pegar todas as suas histórias e relançá-las com um marco-zero, reescrevendo todo os começos de seus personagens (exceto Batman) que ficou conhecido como "Os Novos 52!" - para mais detalhes confira a entrevista que o site Omelete fez com a Panini (editora que lança a DC no Brasil) em junho/2012 aqui.

Em fevereiro de 2015 a DC anunciou o fim dessas edições do 'marco-zero' e informou que as histórias continuarão, mas que agora será a partir do nº 1 e que o lançamento será diferente, mais acessível e inclusiva para novos leitores - se quiserem mais detalhes vejam o que a Legião dos Heróis escreveu sobre a notícia aqui.

O que tudo isso tem a ver com essa resenha? Bem, a HQ de hoje é a versão do Shazam de Os Novos 52!, então algumas mudanças aconteceram em sua história original. Como fui apresentada diretamente ao Shazam! & A Sociedade dos Monstros do Jeff Smith (resenha aqui), não tenho muita propriedade para falar das mudanças históricas que envolveram o Universo DC como um todo. Entretanto, encontrei uma análise (não é resenha e por isso contém spoilers) muito bacana sobre a obra feita pela Splash Pages (clique aqui).

Billy é uma criança órfã que acaba de ser adotada por uma família nada convencional: todos os seus irmãos também são adotados, sendo que um deles tem a mão "super leve" (larápio). Mas Billy é um garoto tão doce, simpático, prestativo, enfim, uma criança de coração puro...



Só que não ... (risos)



Contudo, algo muda sua vida drasticamente quando entra no metrô e desembarca em um lugar estranho com um velho pirado na batata e caindo aos pedaços que se diz mago. E ao contrário do que o mago pensa, ele ainda tem muito a aprender apesar da idade, pois o tempo passou e a humanidade mudou.


Bem, logo se vê que de puro Billy não tem muita coisa e o que será que ele fará agora que é o Mortal Mais Poderoso da Terra? O que o Shazam e um larápio serão capazes de fazer? Venha dar muitas risadas com essas e outras descobertas nessa HQ maravilhosa! Mas não pensem que essa é uma história só para se dar risada: ela trata de assuntos muito sérios e irá lhe mostrar o quanto uma HQ pode mexer com tuas emoções!

A edição: está magnífica! Capa dura contendo duas folhas plásticas para proteger as capas internas, papel couché de fundo branco e a fonte, apesar de ser pequena (comparado com livros), ainda está em um tamanho agradável para a leitura. Não encontrei erros na diagramação e a arte está divina. O único ponto negativo é que não há numeração em todas as páginas.

Particularmente, ainda prefiro o conceito original do personagem. Essa reconstrução contemporânea não me agradou tanto quanto a recontada por Jeff Smith, que manteve a sutileza de C.C. Beck e Bill Parker dos anos 1940.

Tomo a liberdade de separar as pessoas para as quais recomendo as duas versões de Shazam:

Shazam! & A Sociedade dos Monstros de Jeff Smith (Bone) - é um quadrinho perfeito para crianças e adultos; o super herói tem uma inocência ao mesmo tempo que vive uma realidade difícil, a arte representa um lado mais cômico e aprofunda a percepção da vida cruel que Billy vive, fazendo com que assim certos aspectos da história ficassem "ocultos" para as crianças. Inclusive, o autor está concorrendo na categoria Desenhista Estrangeiro do Troféu HQMIX 2015 com essa obra (aqui).

Shazam! de Geoff Johns (Lanterna Verde, Superman) e Gary Frank (Hulk) - já tem uma abordagem mais para adultos; sai toda a inocência e vem a violência, o bullying e uma realidade mais pesada, os traços e a arte em si é para ser apreciada com mais cuidado e atenção, as "piadas" são sarcásticas e próprias para os adultos.

Recomendo para quem goste de: HQ, dramas, comédias e super-heróis.

Não recomendo para quem não goste de: histórias envolvendo bullying, magia e ação.

Pessoal, gostaram? Deixem seus comentários, se já leram essa obra e o que acharam dele, etc.


Promoção: 6 anos de I Like Movies



Olá, leitores!

O blog I Like Movies! está completando 6 anos e por isso vários blogs amigos se reuniram para presentear vocês com vários livros e marcadores!

Confiram as regras:

*Para participar é só cumprir as quatro primeiras regras obrigatórias dos formulários abaixo. As outras entradas são chances extras.
*Perfis fakes nas redes sociais ou utilizados apenas para participar de promoções serão desclassificados.
*As capas dos livros podem sofrer variações conforme a edição disponível no momento.
*Os dados dos ganhadores serão solicitados por e-mail e os mesmo terão 48 horas para responder, caso contrário o sorteio será refeito.
*Os prêmios serão enviados em até 60 dias após o recebimento dos dados dos ganhadores.
*Não nos responsabilizamos por danos, perdas e extravios por parte dos Correios.
*Cada blog se responsabiliza apenas pelo prêmio oferecido por ele.
*Os ganhadores deverão ter endereço de entrega no Brasil.
*O sorteio encerrará no dia 26/02 e o resultado sairá neste mesmo post em até 7 dias.


* Sexta-Feira 13 [Arquivos de Crystal Lake] - Classic Edition - David Grove
* 77 Páginas para Morrer - Marcelo Almeida
* O Mistério de Marie Rogêt - Edgar Allan Poe
* O Despertar do Príncipe - Colleen Houck




* A Garota Que Você Deixou Para Trás - Jojo Moyes
* De Repente, Ana - Marina Carvalho
* Elena A Filha da Princesa - Marina Carvalho
* Zac & Mia - A. J. Betts




* O Ano dos Desaparecimentos - Susan Hubbard
* Não Olhe Para Trás - Jennifer L. Armentrout
* O Doador de Memórias - Lois Lowry
* Seis Anos Depois - Harlan Coben




* Os Imortais de Meluha - Amish
* O Segredo dos Nagas - Amish
* No Início Não Havia Bob - Meg Rosoff
* Marcadores diversos




* Toda Sua - Sylvia Day
* Doce Vampira - Ju Lund
* Poemas de Bar - Tiago Ferrari


Boa sorte!


Resenha #220 - Nas Proximidades do Amor - Lígia Ortiz

Livro cedido pela editora

Título: Nas proximidades do Amor
Predestinados #1
Autora: Lígia Ortiz
Editora: Novo Século
Selo Talentos da Literatura Brasileira
Páginas: 384
Ano:  2015

**Resenha feita por S.M.**


Olá, pessoal. Tudo bem?
É com imensa satisfação que resenho esse livro. Uma grata surpresa que me foi dada pela nossa querida e amada, Diana Canaverde. 

Confesso a vocês que não esperava que a leitura desse livro fosse me prender o domingo inteiro!!! Mas no bom sentido da palavra. Vamos ao que interessa?

O livro "Nas proximidades do Amor" é escrito por uma autora nacional, Lígia Ortiz. E é o primeiro da série: Predestinados. 

Ana Lúcia, mais conhecida como, Nalu, é uma jovem publicitária, linda, simpática, independente e se diz feliz com sua vida, porém essa bela mulher já sofreu um grande baque na vida: há poucos dias de seu casamento, descobre que seu noivo, um rico publicitário a está traindo. Para piorar a situação, apenas uma semana antes da data do seu enlace, ele a humilha publicamente ficando com sua amante na frente de toda a mídia. Nalu cai na boca do povo. Sua vida se transformou em um inferno e o que ela mais quer é sumir da face da Terra. Mas a linda tem amigos, daqueles que causa inveja (branca), sabe? Daqueles que faz de tudo para que ela não se entregue à fraqueza e a tristeza. 

Passado algum tempo, Nalu não quer mais saber de se envolver emocionante com ninguém, apenas tem um casinho colorido com seu amigo, Caio. Ela é sincera com ele, expondo que tudo não passa de sexo, mas será que esse "amigo" vai aceitar isso por tanto tempo?

Caio é um homem lindo, apaixonado por Nalu, mas se resigna a ter apenas momentos com ela. Não por muito tempo, pois ele cobrará seu preço. 

Nalu mora sozinha, num prédio perto de seu trabalho e estava tudo bem até que... seu novo vizinho se muda. Já no primeiro dia, ele faz uma reclamação por escrito e, Nalu não consegue acreditar nisso. Lóóóógico que ela não deixará isso passar batido. Na primeira oportunidade ela também faz uma reclamação dele, por escrito e usando as mesmas palavras que ele. Maaaaaaasssss!!!

Bom, um belo dia, ao sair para tomar seu café na padaria, Nalu não encontra seu jornal em sua porta. 

Advinhem quem o pegou?

Claaaaaaarooooo!!!! Seu vizinho. 

Nalu está furiosa, vai bater à sua porta para pedir o jornal e qual não é a sua surpresa!!! Se bem que ela já o havia visto antes, porém não tão de perto assim. Uauuuu. Que vizinho gato!!! Um gato folgado. Mas um belo gato, mesmo assim a linda Nalu o questionou:

Toc, toc.
- Bom dia.
- Hum. Bom dia. Desculpe-me por incomodá-lo, mas por acaso pegou o meu jornal?
-Posso ter pegado .
- Você pode me devolver?
- Claro. Entre e pegue.

Wow. Que vizinho folgado!!! 

À partir daí, Nalu e seu vizinho o lindo Alec, começam uma briga de gato e rato. 

Teremos muitas surpresas ao longo da narrativa, mas posso confessar? Não via a hora do desenrolar da trama. Me deu agonia, sério!!

Alec e Nalu aos poucos vão se conhecendo e o que era pra dar tudo errado, começou a dar certo. E os dois foram se envolvendo em amizade e... Paixão. Isso mesmo. 

Alec vai mostrando aos poucos que não é um vizinho chato e nem folgado, as aparências podem enganar. Nalu se vê envolvida cada dia mais, porém tem seu lance com Caio, o que a está incomodando por demais. 

Ela não se decide, mais aqui temos um mocinho que sabe o que quer, pelo menos é o que parece e na primeira oportunidade ele ataca:

- Eu vou beijá-la, Nalu. Se você não quiser que eu faça, fale agora, pois eu não vou parar. 

Ah, meu paizinho!!! E quem quer que pare?
Bom, a partir desse ponto a história se desenrola pra valer, mas como nem tudo são flores... nada pode dar certo quando começa errado. 

Lembram-se do Caio? Bom, um mal entendido coloca a prova o relacionamento de Alec e Nalu. Ele é um espanhol esquentadinho e ela? Uma cabeça dura também. 

Vou falar pra vocês uma coisa: essa história me fez sorrir, chorar, sentir tristeza profunda pelos personagens e torcer. Tive vontade de dar uns tabefes nos dois. 

Me emocionei bastante. Sou boba mesmo, me envolvo tantoooooo!!!
Não posso dizer muito mais. Porque vocês vão me matar. Mas fica uma pergunta: será o amor capaz de superar a desconfiança, o medo, as mentiras?

Nas proximidades do Amor me deixou sem fôlego. Não esperava me envolver tanto. A autora tem uma escrita bem fluida e convidativa, sabe cativar os leitores. Não é pedante e nem prolixa, pelo contrário. 



Claro, vou falar pra vocês do ponto negativo. o único que encontrei logo de cara. Estou falando do tamanho da fonte utilizada. Sabem, é complicado uma letra tão pequena, para quem não enxerga direito como eu, mas do resto? 

Por mim foi tudo perfeito. Sério gente. 

A autora soube descrever as cenas mais calientes com suavidade, sem tornar a leitura uma coisa escandalosa. 

O casal principal é uma graça, mais darei pontos para os personagens secundários também. Eles são 
umas delícias de ler. Se  isso é possível dizer. 

O livro é a estreia da autora no mundo literário e Lígia não poderia ter sido mais feliz ao nos presentear com uma história linda. espero que lance logo o segundo livro da série, que desconfio qual será o casal principal. Mas vocês terão de ler para saber também. 

O que posso falar mais? Ah, da capa, claro. 

Sou "zoiuda" em capas de livros. E esse não poderia ser tão lindo!!! Chamativa, convidativa por suas cores e pelo casal de modelos que nela estão. A fonte da capa também é bem nítida e só de olhar já tive vontade de ler. 

Claro, às vezes nos enganamos quando vemos uma capa, podemos encontrar uma linda história ou não. 



Mas essa capa é bem bonita. 

A editora Novo Século, eu já conheço e super indico a  leitura pra quem gosta de romances, de idas e vindas, de amor. 

Obs: Prepara a caixinha de lenços para as últimas páginas. Porque mais do que emociona. 

Pra esse livro vou dar 5 estrelas. 

Espero que gostem e até a próxima. 

Beijos.

S.M.


Resenha #219 - Labirinto de Espelhos - Bárbara Negrão


Título: Labirinto de Espelhos
Autora: Bárbara Negrão
Editora: Novo Século
Selo Talentos da Literatura Brasileira
Páginas: 456
Nota: 4/5

Nos últimos dias, meus sonhos têm sido cada vez mais frequentes e conturbados. A urgência que sinto vindo dela é desesperadora. E mesmo sem saber para onde sou levado, prefiro mil vezes estar em qualquer lugar com ela, do que longe, sem saber o que pode estar acontecendo. (Willian)

Ai ai, sim eu suspirei com essa história, já tenho que falar que estou completamente apaixonada pelo Willian - que meu marido literário não ouça - mas ele é tudo o que uma garota sempre quis... eu não ligo se algumas pessoas não gostam que tenham personagem um pouco fora de nossa realidade, mas eu adoro sonhar e sou uma romântica assumida, então suspirei muito no decorrer dessa leitura.

Eva é uma adolescente normal, tem seus sonhos, mora com a mãe, elas tem uma boa relação, ela trabalha no estoque de uma loja e tem amigas incríveis. Ela está sofrendo por causa de um amigo que foi embora de repente e nem se despediu. Ela estava chateada e magoada, pois não esperava uma atitude dessas da parte dele ainda mais porque eles sempre foram os melhores amigos desde que nasceram.

Suas amigas tentavam confortá-la, mas ela tinha se distanciado um pouco nas férias, porque não queria falar desse assunto com mais ninguém, apesar que tinha que se preparar psicologicamente para enfrentar o turbilhão de perguntas que iria ocorrer no primeiro dia de aula.

Em seu primeiro dia de aula, até que as coisas fluíram bem, teve perguntas, mas suas amigas saíram em sua defesa e ela não teve que responder tantas coisas. Mas uma grande surpresa aconteceu. Uma das amigas de Eva disse que tinha um garoto novo na escola, e que ele era lindo demais. Como elas mesmo disseram mais que um zilhão de tão lindo.

Então na hora do almoço, suas amigas saíram para pegar comida. E quem aparece lindo de morrer, com aquele olhar penetrante que não dá para desviar por nenhum segundo, por mais que você queira, pois é o Willian - sempre que penso nele suspiro internamente - ele chegou diretamente, sem rodeios e falou com ela, querendo saber seu nome, com um interesse totalmente estranho, mas ao mesmo tempo, totalmente sedutor que Eva não conseguia ter nenhum tipo de ação e quando as suas amigas se aproximaram, ele saiu da mesma forma que entrou, deixando o coração da moça com uma arritmia que ela achava que ele fosse sair pela boca a qualquer momento.

-Então seu nome é Eva? - ele falou, acariciando cada letra do meu nome ao pronunciá-lo.
-Sim. Por quê? Nos conhecemos?
-Hum... Não. É só que... - fez uma pausa e me olhou de cima a baixo demoradamente. Senti meu rosto pegar fogo. -Combina com você.

As coisas vão acontecendo de uma maneira rápida, mas muito bem desenvolvida. Sabe aquela intensidade que os adolescente vivem? É Assim que Eva e Willian estão vivendo. Aquela fase da descoberta, do sentimento fluindo e a forma como vão se conhecendo. Pode parecer clichê esse mocinho todo lindo e maravilhoso com a mocinha, mas eu adoro essa fase e quando ela é bem escrita preenchem meus olhos e me prendem na história de uma maneira que não consigo parar e foi isso que aconteceu com a leitura desse livro.

As amigas de Eva fizeram total diferença na trama, fiquei impressionada como elas se davam bem e sempre se apoiavam. Elas se cuidavam de uma forma muito bonita e eu não podia deixar de citá-las. Bárbara soube desenvolvê-las e colocá-las em cena de uma maneira muito bem desenvolvida, sem deixá-las muito de lado devido os acontecimentos e mesmo quando Eva não as encontrava, sempre pensava nelas.

Não tenho muito o que falar do enredo, porque qualquer coisa que eu conte a mais poderá ser spoiler e eu não quero estragar a graça para ninguém. Willian tem um segredo e Eva com o tempo começa a desconfiar de algumas coisas. Ela começa achar estranho sobre a forma como ele vive, as coisas estranhas que acontecem quando ele está por perto e isso vai a deixando pensativa e querendo saber o que anda acontecendo, afinal de contas ele tem um interesse enorme sobre a sua vida, mas quando se trata da vida dele, tudo fica misterioso demais.



O que posso dizer sobre a escrita de Bárbara? É maravilhosa! Eu curti demais a leitura do livro, adorei a história, os elementos que ela colocou. Adorei a forma como ela desenvolveu o enredo e o melhor foi o final. Apesar de eu já ter desconfiado em um determinado ponto da trama, a forma como aconteceu me deixou bem surpresa e isso me fez gostar muito mais da história e ficar ansiosa por ler Labirinto de Ilusões que ainda bem já está comigo e eu não vejo a hora de começar a leitura. Sim ele apareceu pouco, mas quero destacar Dante, o melhor amigo de Willian, quero muito que ele apareça mais no segundo livro rs.




A diagramação do livro está simples, mas a capa é muito bonita. Deu até para me sentir parte dela rs. A narrativa foi em primeira pessoa e pude me sentir mais conectada com a personagem. Quanto a revisão, infelizmente neste livro, deixou um pouco a desejar e confesso que geralmente não me incomodo tanto, mas desta vez me senti incomodada, porque não foi só questão de algumas trocas de letras, que foram um pouco demais que o normal, mas também em algumas conversas que faltaram o travessão. Isso é um pouco chato, mas mesmo com essa ressalva,  a leitura do livro foi de maneira fluida e as folhas amareladas fizeram com que ela saísse um pouco mais confortável.

Para quem gosta de um romance sobrenatural, com um mocinho lindo, sedutor esse é o livro certo. O Li de forma rápida e curti cada momento. Já fazia um tempo que não lia algo tão despretensioso e gostoso assim e me senti renovada, para começar o ano muito bem.

Bom espero que tenham gostado, tirando a parte da revisão, recomendo demais a leitura, pois o livro é muito bom e tem uma história bem bacana e com alguns elementos a mais de surpreender, pelo menos pra mim foi assim.

Evitei falar sobre ele, mas não pensar era impossível. Meus pensamentos pareciam estar contra mim. Por mais que tentasse, eles iam por livre e espontânea vontade voando até Willian. Mas não conseguia chegar à conclusão nenhuma sobre nada.

Resenha Coletiva #12 - Sailor Moon - Naoko Takeuchi - Parte 02

Vol. 06 ao 10 - mangás adquiridos pela resenhista
Olá a todos!!! Hoje trago mais um incrível mangá para vocês. Espero que gostem...

Obra: Pretty Guardian Sailor Moon
Autora: Naoko Takeuchi
Mídia: Mangá
Editora: JBC (Japan Brazil Communication)
Volumes: 12 volumes + 2 extras e 2 prequelas
Páginas: 206 em média por volume, sendo 06 coloridas
Formato: 12X18cm
Classificação: 4.0

Nas capas temos: Sailor Chibimoon (Vol. 6), Sailor Urano (Vol. 7), Sailor Netuno(Vol. 8), Sailor Pluto(Vol. 9) e Sailor Saturno (Vol. 10).
Antes de você começar a ler essa resenha que tal relembrar o que rolou nos cinco primeiros volumes (aqui)?

Volume 6: Enfim, tudo está tranquilo e em harmonia, desde que você desconsidere alguns eventos estranhos que começaram a ocorrer na cidade. Duas pessoas da Academia Infinito aparecem e uma delas começa a dar em cima da Usagi, Enquanto isso, duas novas Sailors aparecem e ninguém sabe nada sobre elas e para piorar elas estão mais para inimigas do que para aliadas. Será que os estranhos fenômenos que têm ocorrido são culpa delas? O que elas querem?

Você sabe o nome e o planeta de cada uma delas?
Volume 7: Uma nova Sailor aparece e ao que tudo indica está com as outras duas desgarradas. Por que as Sailors não conseguem se unir de uma vez para acabar os Arautos da Destruição? Por que é mais importante serem inimigas do que se ajudar para salvarem o planeta? E um novo poder é despertado, mas será que ele será suficiente?

Volume 8: Por mais incrível que pareça, uma nova Sailor é revelada (para quem perdeu a conta, essa é a 10ª) e se ela despertar o mundo será destruído. E como se não bastasse, essa Sailor tem um inimigo poderosíssimo dentro dela. Agora é tudo ou nada, as guerreiras terão de se unir para derrotar essa companheira que tem como objetivo a destruição do mundo. Um circo chega à cidade e ele é um pouco estranho... Até unicórnio entra na história. Era só o que faltava, viu!?!


Volume 9: Um novo inimigo que pode manipular os sonhos? E como se não fosse o suficiente, ainda está atacando nossas heroínas de dentro para fora... Como será que elas vão combater esse inimigo se elas já não têm como sonhar com a paz e a esperança? Novos poderem surgem e tudo pode acontecer.


Volume 10: Um poder adormecido é a última esperança das Guerreiras Sailor; como elas conseguirão achar a fonte desse poder e despertá-lo para enfim derrotar o inimigo? Velhos personagens voltam a ganhar mais espaço e destaque - agora que o mundo está na mão deles! Chibimoon se apaixona? Será que ela enfim deixará Mamoru e sua amada viverem em paz?

Essa edição continua fantástica, com 06 páginas coloridas em cada volume e as demais em papel branco. As capas contendo as duas versões das nossas guerreiras estão lindíssimas. Como vocês viram, cada capa tem uma Sailor diferente, mas a história não é fixa na Sailor da capa, ok?




















A história continua a ter um ritmo bem rápido, com vilões dando cria, sendo que um é mais louco do que o anterior. Entretanto, esses vilões fazem parte de algum grupo de vilões master e a missão das nossas heroínas é acabar com esse grupo que só quer matá-las... nada de mais, né? Apesar da história parecer repetitiva - afinal ficamos nesse ciclo sem fim de aparece vilão, toma um surra, tenta de novo e vence vilão - há um amadurecimento das personagens (se bem que na Usagi o processo parece acontecer muito lentamente) e elas vão conhecendo mais do seu passado e do futuro, vão conhecer novas pessoas que se tornaram especiais e terão que aprender que dizer adeus às vezes é necessário.

As trapalhadas e lamúrias da Usagi deixam a leitura leve e descontraída, apesar de muitas pessoas (e até os próprios personagens) a acharem infantil, bobona e chorona - e estão todos certos!

Um paralelo com a 1° versão do anime:

Vols. 05 ao 08 equivalem à 3ª temporada (Sailor Moon S - Super);
Vols. 08 ao 10 equivalem à 4ª temporada (Sailor Moon Super S - Super Senshi);
Vols. 10 ao 12 equivalem à 5ª temporada (Sailor Moon Stars).

Para quem nunca leu um mangá, fique tranquilo(a): logo na última página (ou 1ª, abrindo da forma usual um livro/HQ ocidental) há instruções de leitura, por onde você começa a obra e a sequência de quadros na página. No começo é um pouco estranho, mas com o tempo você se acostumará e em breve não sentirá nenhum desconforto.


Recomendo para quem goste de: heroínas, batalhas, romance, drama, suspense, comédia e ficção.

Não recomendo para quem: não goste dos itens acima, machistas e para quem odeia qualquer coisa relacionada a alienígenas ou não goste de gatos falantes.

Pessoal, gostaram? Deixem seus comentários, se já leram essa obra e o que acharam dela, etc.




Renovação de Parceria com as Editoras: Petit e Butterfly!!!!


Galera linda do meu coração, tudo bem com vocês??

Como podem perceber, estou muito feliz!!! O blog renovou parceria com as editoras Petit e Butterfly e ficamos imensamente felizes por essa conquista. Quero deixar meu agradecimento especial a Ninah, minha querida resenhista a mais de um ano, que entrou para a equipe do blog e resenha oficialmente os livros das editoras. Quero dizer que ela foi uma grata surpresa em minha vida e na vida do blog. Ela chegou tímida e foi se revelando e eu a agradeço imensamente por fazer parte dessa equipe... que tanto gosto e tenho carinho. Também quero deixar o meu agradecimento as minhas outras duas resenhistas Suzana Linhares e S.M que são maravilhosas também e enchem os meus dias de alegria. Somos uma equipe unida e gosto muito de todas!!!

Quero também agradecer a equipe maravilhosa das editoras que acolheram o blog e sempre nos tratou com muita atenção e delicadeza. Muito obrigada a todos, principalmente pela confiança e pela oportunidade de mais um ano de parceria, que esse ano seja de sucesso para todos nós!!!!



A Petit Editora iniciou suas atividades em 1982, na cidade de São Paulo.
No ano de 1990, seus fundadores, resolveram direcionar a editora para atender, com exclusividade, a demanda por obras espíritas, pois naquela época, o livro espírita estava restrito apenas aos centros espíritas.
A partir de então, os fundadores da Petit, profissionais da área de comunicação publicitária e conhecedores do marketing editorial, iniciaram suas primeiras edições, as quais chamaram a atenção do mercado editorial pela criatividade de suas capas e a qualidade de seus projetos gráficos.
Esse foi o ponto de partida para colocar o livro espírita nas livrarias comerciais e então atrair os leitores, colocando assim o livro espírita em local de destaque no meio livreiro. O livro espírita tem um cuidado a mais, pois passa por avaliadores doutrinários que analisam as obras para que estas levem a mensagem ao leitor de forma compatível com a grandeza de seu conteúdo. Em meio a essa trajetória, cada um dos profissionais que dela participa contribui com sua vibração pessoal e temos uma certeza, acrescenta emoção aos corações dos leitores.
A Petit Editora acredita que a maior recompensa a essa dedicação será sempre o reconhecimento público pelo trabalho realizado, compromisso esse estampado ao lado da logomarca escolhida para representar 30 anos de trabalho e dedicação: Porque ler vai mais além...

Redes Sociais:





Com dez anos de sucesso, a Butterfly Editora é um selo da Petit Editora.
A proposta editorial da Butterfly é abrir um espaço para que a imaginação literária possa alçar voo alto sem medo de ser diferente. A borboleta – ágil e multicolorida –, um símbolo de transformação representada em nossa logomarca, projeta-se no espaço, agitando-se em liberdade, independente, voando na direção de seus sonhos, vislumbrando um amplo horizonte de harmonia e beleza.
Nesta metáfora, que certamente reflete o desejo de todos nós, espelhamos nosso objetivo: movimentar sentimentos, agilizar ideias, provocar raciocínios e reflexões... Para que esse objetivo converta-se na realidade que você vê nas lojas, obras selecionadas – do Brasil e de outros países – são transformadas em livros que procuram seduzir o leitor, pela riqueza do seu conteúdo e pela beleza de suas capas.
No Brasil, fomos a primeira editora a falar de bullying e de crianças índigo. Romances e trilogia de sucesso encantam nossos leitores... Nosso grande potencial é identificar temas que não apenas agradem ao público, mas que também agreguem valor e inspiração ao seu dia a dia.
Ao identificar o selo Butterfly, tenha a certeza de que verá o desafio de juntar o entretenimento, a sabedoria, a informação e a filosofia de um novo ideal para nosso público.
Aceite nosso desafio. Leia o diferente.

Redes Sociais:

Acessem as redes sociais das editoras e confiram as últimas novidades, ah e logo iremos trazer informações sobre os lançamentos.

Xero no coração!!!


Resenha #218 - Deuses Americanos - Neil Gaiman

Olá, pessoal. Tudo bem com vocês? Espero que sim.

Título: Deuses Americanos
Título Original: American Gods
Autor: Neil Gaiman
Editora: Conrad 
Páginas: 447
Classificação: 5.0
Livro adquirido pela resenhista

Sinopse: 
Deuses Americanos, o melhor e mais ambicioso romance de Neil Gaiman, é uma viagem assustadora, estranha e alucinógena que envolve um profundo exame do espírito americano. Gaiman ataca desde a violenta investida da era da informação até o significado da morte, mantendo seu estilo picante de enredo e a narrativa perspicaz adotados desde Sandman. Neil Gaiman oferece uma perspectiva de fora para dentro - e, ao mesmo tempo, de dentro para fora - da alma e espiritualidade dos Estados Unidos e do povo americano: suas obsessões por dinheiro e poder, a miscigenada herança religiosa e suas consequências sociais, e as decisões milenares que eles enfrentam sobre o que é real e o que não é.

Trecho contido na contra capa do livro:
"Shadow estava em um lugar escuro, e a coisa que olhava para ele tinha uma cabeça de búfalo, fedida e peluda, com enormes olhos úmidos. O corpo da criatura era de homem, oleoso e pegajoso.
— Mudanças estão vindo por aí - disse o búfalo, sem mover os lábios. — Há certas decisões que precisarão ser tomadas.
Chamas ardiam nas paredes úmidas da caverna. [...]
— Acredite - disse a voz ribombante. — Se você sobreviver, precisa acreditar.
— Acreditar em quê? - perguntou Shadow. — Em que devo acreditar? [...]
Em tudo - rugiu o homem-búfalo."

Shadow é um rapaz que está cumprindo sua pena na prisão quando tem um sonho completamente absurdo com um ser bizarro que lhe dirá coisas sem o menor sentido. Assim, sua vida começa a mudar da água para o vinho.

Notícias trágicas, um emprego suspeito, pessoas querendo usá-lo como garoto de recados, pessoas estranhas querendo encontrá-lo e trazê-lo para o seu lado, tudo pode e vai acontecer nessa nova fase de sua vida, incluindo reencontros nada esperados ou encantadores.

Os imigrantes chegam aos Estados Unidos e trazem eles suas próprias crenças e deuses. Contudo, os anos foram passando e seus descendentes foram se esquecendo de sua cultura, de seus ritos e, principalmente, de seus deuses.

E do quê então sobrevive um deus se não de orações e oferendas? Bem, agora imagine o que acontece com os deuses que não tem mais o "pão nosso de cada dia". Imagine o quão humilhante é se ver quase mendigando por aí em uma terra distante de seu povo depois de ter sido vangloriado e amado por tanto tempo. Imagine como é se sentir esquecido e até ridicularizado. Imagine que novos deuses tenham a atenção dos mortais enquanto você míngua à deriva. Então só neste momento é que  você deve ter uma vaga noção do que os deuses americanos estão sentindo. E o que você faria, até onde iria para sobreviver ou até mesmo reconquistar seu posto?

Demorei muito para conseguir terminar de ler esse livro, muito mesmo! E não é porque a história não é boa ou a escrita é ruim, é o extremo oposto disso. Então por que cargas d'água eu demorei? Não sei explicar, a 5 páginas lidas parecia que eu tinha lido 20 de tanta informação que continham. Essa foi uma experiência nova para mim, ficar quase 3 meses lendo um livro que eu estava AMANDO! E foi uma dor gigantesca quando ele infelizmente terminou, eu poderia continuar indefinidamente vivenciando essa história; Gaiman conseguiu me conquistar de uma forma completa e absoluta e já se tornou o meu autor internacional preferido, superando até a P.C. Cast - e olha que eu nunca me imaginei falando isso!


A história tem uma mistura de elementos tão grande e super bem equilibrados como eu nunca vi! Tem suspense, terror, drama, comédia, reflexões que nos fazem pensar, mitologia de peso e mesmo assim é trazida de uma forma tão suave e natural que chega a encantar. Tem também sexo, mas não é uma leitura hot, não tem nada a ver com qualquer literatura erótica que você já conheceu! Ele traz cenas nas quais o ato acontece, mas são escassas e muito bem trabalhadas, com um linguajar que fica no liminar entre infantil ao indecente, e não chulo ou extremamente vulgar.
Sem indivíduos, enxergamos apenas números: mil mortos, cem mil mortos, "o número de vítimas pode chegar a um milhão". Com histórias individuais, as estatísticas se transformam em pessoas - mas até isso é mentira, porque as pessoas continuam a sofrer em números que, por si só, são entorpecentes e sem sentido. Olhe, veja a barriga inchada do menino e as moscas que andam no canto dos olhos dele, seus membros esqueléticos: vai ajudar se você souber seu nome, idade, sonhos e medos? Se enxergá-lo por dentro? E, se ajudar, será que não estaremos prestando um desserviço à irmã dele, que está ali ao lado, estirada na poeira abrasadora, uma caricatura distorcida e inchada de uma criança humana? E daí, se lamentarmos por essas duas crianças, será que elas agora passarão a ser mais importantes para nós do que as milhares de outras crianças atingidas pela mesma fome, milhares de outras vidas jovens e contorcidas que logo se transformarão em alimento para as moscas?
A capa está bacana, as páginas são finas e brancas, a fonte é de tamanho médio e não há muito espaço entre uma linha e outra, o que dificulta um pouquinho a leitura. E por incrível que pareça tenho que elogiar a contra capa e a sinopse! Elas estão perfeitas!!! Para começar: não tem spoilers, contando sobre a história e ao mesmo tempo não falando nada, nos deixando curiosos e instigados a saber o real significado do trecho escolhido.


Infelizmente, encontrei alguns erros de digitação e tradução/adaptação: algumas frases ficaram bem esquisitas ou com as palavras certas, mas nos lugares errados. Dá vontade de chorar quando vejo uma história tão maravilhosa contendo tantos erros e coisas estranhas na versão brasileira, esse é um livro que faço questão de ter o original, pois a edição brasileira deixa a desejar.

Achei o máximo um aviso que o autor colocou antes do sumário, e foi lendo essa página que tive a certeza que esse autor ficaria gravado em minha memória eternamente. Por isso, separei um trecho para vocês:
Não foi pedida nem dada permissão para usar os lugares verdadeiros que aparecem nesta história. Eu espero que os donos da Cidade de Pedra, da Casa na Pedra e os caçadores que são donos do hotel, no centro dos Estados Unidos, fiquem tão perplexos quanto qualquer outra pessoa ao encontrar suas propriedades aqui.
[...]
Fora isso, nem é preciso dizer que todas as personagens, vivas, mortas ou mortas-vivas, utilizadas nesta história são fictícias ou foram usadas em um contexto fictício. Só os deuses são reais.
Outra coisa muito interessante são as histórias paralelas que nos mostram a vinda dos imigrantes e seus deuses para a América; com elas você terá uma visão mais ampla do que aconteceu e o quanto esses seres eram amados e temidos por seus povos e o quanto eles ajudaram ou foram gentis com quem os adorava com verdadeira fé.

Apesar das críticas negativas que encontrei relativas a algumas "perguntas que ficaram sem respostas" ou com relação a "personagens rasos" tenho algumas considerações a fazer:

  • Esse não é um livro a se ler de qualquer maneira ou com pressa, leituras dinâmicas ou do gênero são completamente infrutíferas. Se esse é seu propósito, nem leia a obra;
  • Não se engane: as respostas estão nas entrelinhas, por isso se você não ler com cuidado e atenção não irá "achá-las". Leia, pense e repense. Estão todas lá;
  • Uma vez que a história é contada a partir da visão de Shadow, você ficará perdido tanto quanto ele e mais uma vez digo: volte e releia. As respostas estão lá, escondidas, e essa foi a parte mais gostosa da leitura;
  • Não se trata de ser ou não"inteligente" para entender e apreciar essa obra, conforme constatei em algumas resenhas. Trata-se, sim, de entender o texto de forma completa;
  • É um livro denso, com muita informação textual, e às vezes você poderá achá-lo cansativo, ou se sentir esgotado(a). Contudo, caso não consiga absorver o conteúdo no mesmo ritmo da leitura, não desanime, pois vale a pena - MUITO a pena!
Neil Gaiman e uma das capas de Deuses Americanos
Neil Gaiman atua em diversas áreas, sendo reconhecido por sua aclamada HQ Sandman e também pela obra Coraline. Ainda escreve e é co-autor de diversos livros, somando 37 títulos publicados, além de 36 HQs, 5 filmes, 6 participações na televisão (como Doctor Who: Nightmare in SilverDoctor Who: The Doctor's Wife) e 2 peças de teatro. É pouco?

Recomendo para quem goste de: HQ, dramas, comédias, reflexões, culturas pagãs e deuses.

Não recomendo para quem não goste de: histórias bem complexas, de terror ou suspense.

Pessoal, gostaram? Deixem seus comentários, se já leram essa obra e o que acharam dele, etc.