Resenha #203 - Fragmentados - Neal Shusterman


Título: Fragmentados
Autor: Neal Shusterman
Editora: Novo Conceito
Páginas: 320
Nota: 5/5

A data da ordem era um dia antes da viagem às Bahamas. Ele ia ser fragmentado e eles iam sair de férias para se sentirem melhor com a situação. A injustiça de tudo isso fizera Connor querer quebrar alguma coisa.

Eu não iria ler esse livro nesse ano, até porque pretendia ler ainda algumas continuações de séries, mas diante de tantas resenhas positivas e opiniões chocadas com a proposta do livro, além do fato de ser uma distopia, eu não resisti a tentação e o peguei pra ler, o passando na frente de um monte de leituras pendentes rs. 

Nessa narrativa em terceira pessoa, temos boa parte das narrações como personagens principais Connor, Risa e Lev. Em alguns momentos da leitura, alguns capítulos narrados sobre alguns personagens secundários que aparecem para compor a obra e fazer com que a leitura flua da melhor forma.

Para entender melhor do que se trata o livro irei explicar como a fragmentação surgiu. No futuro, depois de uma guerra entre dois poderes foi criado "A Lei da Vida" onde diz que a vida humana não pode ser tocada  desde o momento em que uma criança é concebida até chegar a idade de 13 anos. A partir dos 13 até os 18 anos, os pais podem escolher "abortar" a criança, quando ele não a quer mais, então essa criança é levada para a fragmentação, porém a criança não morre, ao mesmo tempo que ela é fragmentada, sua vida permanece. Esse processo acontece para ajudar as pessoas que perderam algum membro do corpo ou órgão vital, devido a doenças ou acidentes e precisariam dessas "reposições" para seguirem em frente com as suas vidas. 

Connor descobriu por a caso que iria ser fragmentado. Ele ficou com muita raiva de seus pais, ele jamais imaginou que seria "abortado" daquela forma tão brusca. Tá ele sabia que tinha aprontado algumas coisas, mas nada muito sério a ponto de seus pais tomarem essa decisão tão radical. Então ele resolveu fugir. Ele tomou essa decisão, porque jamais seria fragmentado. Essa mágoa ele iria carregar pra sempre, mas tinha que fazer isso sem olhar para trás.

Antes mesmo de assinar o nome, ele sente as lágrimas brotando por dentro. Não parecem vir de seus olhos, mas lá no fundo das vísceras. É uma onda tão poderosa que machuca o estômago e os pulmões.

Risa, uma garota órfã que mora em uma casa chamada de "Estatal" não teve muita sorte, pois sempre gostou de tocar e em uma apresentação, ficou muito nervosa e perdeu algumas notas, imperceptível aos convidados, mas não aos olhos de seus professores. Em consequência disso neste mesmo dia, ficou sabendo que seria "abortada" para a fragmentação. Seu mundo caiu é claro, ela sabia no fundo que mais cedo ou mais tarde isso poderia acontecer e sentia muito medo por isso.

Há algum tipo de comoção do lado de fora que torna difícil para ela se concentrar em medir a pressão sanguínea do homem. Comoção não é a coisa rara aqui. O que quer que seja, Risa suspeita que terminará com ataduras e sacos de gelo para alguém. O trabalho nunca termina.

Lev é um dízimo. Ele foi criado sob essa circunstância, pois desde que nasceu soube que seria entregue para a fragmentação, foi ensinado a ele que isso não seria um "aborto", mas sim uma oferta a Deus, porque ele era o décimo filho da família e segundo a "Bíblia" isso teria que acontecer. Então ele já estava conformado com isso e ele queria, pois sabia que estava fazendo o que era certo, o que foi destinado a fazer.

Estou perdido de todas as formas possíveis.Então, sentindo a frieza do aço contra as pontas dos dedos, ele puxa o alarme de incêndio.

O que estas crianças tem em comum é que todas são fragmentárias e por obra do destino elas se conheceram. De alguma forma estavam fugindo juntas. Mesmo que Lev não concordasse 100% com esta fuga, lá estava ele fugindo com Risa e Connor.

Olha não posso mais falar nada sobre este enredo se não sairá spoiler, só posso dizer que me senti sufocada em alguns momentos, que leitura foi essa? Eu gostei muito da escrita de Neal, ele conseguiu me envolver na leitura do inicio ao fim. Fiquei completamente perplexa com essa proposta. E o pior de tudo, pelo jeito que as coisas estão caminhando aqui em nosso mundo real, não duvido que uma guerra possa acontecer e uma atitude como esta possa ser formalizada, porque convenhamos, o mundo está um verdadeiro caos.

Neal trouxe algo - em minha opinião - original. Trouxe uma distopia fria, calculista e sem nenhum tipo de emoção pelo lado governamental. A impressão é que dá, é que com a fragmentação os médicos não se importam mais em curar as pessoas, tudo eles levam para repor um membro ou um órgão. Chegou um momento na leitura do livro, que senti um frio no estômago e só de imaginar a cena narrada sinto ainda calafrios, tamanha a frieza do ser humano. Fico pensando quantas pessoas são assim nesse mundo e que não conhecemos. Na realidade não sabemos quem é quem, porque muitas pessoas vivem sobre máscaras e se não formos espertos jamais saberemos quem são. E quando menos percebemos, não estaremos mais aqui pra contar alguma história.

Eu tive vários tipos de sensações com a leitura desse livro e em alguns momentos senti até repulsa com as decisões como os pais dessas crianças resolviam, como se fosse algo banal entregá-las para a fragmentação e como esse processo acontecia. Algumas vezes fechei meus olhos e até mesmo o livro e não consegui acreditar no que lia. Com a fuga, muito desses meninos e meninas se submetiam a cada coisa para não ser pego. Passavam por tantas coisas que chegava a doer no meu coração. Nossa... fome, desespero, violência, medo, trauma e muito mais... fico me perguntando até que ponto uma pessoa pode aguentar esse misto de sentimento e aprovação, ainda mais sendo crianças que por ato de sobrevivência são capazes de amadurecerem anos em apenas dias, ou até horas.



A diagramação do livro está bem simples. A fonte está em tamanho médio e com um bom espaçamento. Não percebi erros de revisão. O livro tem um peso médio, então para quem tem problemas nos pulsos não é recomendável lê-lo em pé no ônibus. Mas dependendo da situação dá para segurar com um pouco de sacrifício. Os capítulos são curtos e começa com o nome do personagem que será narrado. A leitura flui de uma maneira rápida, pelo meno em minha opinião.

Sim, de maneira estranha a leitura deste livro é incrível, eu recomendo para amantes de uma distopia fria e original. Para quem curte um drama mais opressivo e que causa um intenso frio da barriga. Leia e tire as suas próprias conclusões e me convide para  saber de sua opinião. Neal não é autor best-seller atoa, porque ele trouxe uma história bem escrita, desenvolvida e com uma excelente ambientação, muitas vezes me vi no lugar, me vi em algumas salas que me causou completa angústia e quando um livro te causa vários tipos de reações e te empolga desta forma, vale a pena conhecer a história. 

Enquanto segue apressada pela rua, pensa em como é maravilhoso que ela possa ter uma segunda chance. Como é maravilhoso poder descartar tão facilmente sua responsabilidade.

Xero no coração de todos!!!!


26 comentários

  1. Oii Diana,
    Tem tanta gente falando bem desse livro, mas confesso que acho que ainda não estou preparada para ler esse livro, apesar de querer muito, Lá em cima você fala frieza dos médicos e mesmo não tendo lido o livro eu vi o book trailer e é realmente de arrepiar, mas não de surpreender porque na verdade já existem pessoas assim, que não se importam com o sofrimento e parece que a cada dia piora.
    Enfim, gostei de mais da sua resenha e pode ter certeza que o livro já está na lista
    Estante de uma Fangirl

    ResponderExcluir
  2. Oi, Diana!
    Esse livro gera muitas controvérsias na blogosfera. Confess que estou louca pra ler, mas me desanimo ao saber que é série. Não cabe maisnenhuma na minha vida T_T
    Beijos
    Balaio de Babados | Participe da promoção Natal do Babado

    ResponderExcluir
  3. Oi Dih!

    Claro que quero lê-lol! Amo distopias e desde que li a resenha da Mari deste livro, surtei e já o coloquei na minha lista de desejados! rsrsrsrsrs
    Adorei sua resenha viu!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  4. Di, às vezes também tenho uma crise de necessidade por um livro e passo na frente de tudo também! rs... O livro é muito envolvente e o que mais me prende nas distopias é essa questão de pensar que o mundo um dia poderia chegar a esse ponto... nunca outro livro do gênero me deixou tão chocada e indignada quanto esse, não sou mãe, mas não entra na minha cabeça como pais podem simplesmente mandar um filho pra ser fragmentado, é o cúmulo da crueldade.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  5. Nossa! eu estou louca por esse livro desde que ele foi lançado, assisti o booktrailer e fiquei super nervosa, quero entender como esses adolescentes são fragmentados, o porque disso? por mais que na sua resenha você tenha explicado, ainda assim eu não entende como esse processo funciona, acho que só lendo mesmo pra descobrir. Se com a sua resenha eu já senti raiva, imagino quando estiver lendo, eu cheguei a pegar o livro pra comprar na Bienal aqui do Rj, mas a fila estava dando quase duas voltas no estande da editora e não fiquei pra esperar, me arrependo disso.

    ResponderExcluir
  6. Eu fiquei até com medo de ler esse livro agora. Adoro distopia. Mas conforme você foi narrando sua resenha me deu um gelo na barriga. Mas mesmo com medo será uma das minhas leituras de 2016.
    Beijos
    Camila Bernardini Coelho

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Eu amo distopias, e essa está na minha lista de desejados, porque como você disse ela é fria e calculista, e não tem nada de belo nesse mundo da fragmentação.
    Achei a história que o autor criou bem original mesmo, fugindo até dos clichês da distopia de sociedades separadas dos classes.
    Amei sua resenha e as impressões que teve sobre o livro, espero poder ler em breve
    www.gordinhaassumida.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi,
    Todas as resenhas que li desse livro são mega positivas. Amo distopia, mas fiquei como medo das partes em que vc disse que sentiu repulsa e fechava o livro!!
    Bjs!
    Fadas Literárias

    ResponderExcluir
  9. Oiee ^^
    Esse livro parece mesmo ser uma história fria, e acho que eu nunca li nada parecido. A capa é incrível ♥ Estou com ele aqui para leitura, mas ando tão enrolada com algumas leituras (atrasadas *-*) que acabei deixando-o de lado. Sua resenha me fez colocá-lo no topo...haha' Adoro distopia, principalmente quando tem uma pitada de drama no meio ♥
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Olá.
    Esse livro já me conquistou, eu também fico pensando, como assim destruir seres perfeitos para salvar os 'imperfeitos' tenho uma mentalidade mais 'indigêna' nessa questão, mas é obvio que nenhuma delas é bom, mas acho que a visão mostrada no livro é a mais polêmica, por isso o livro está chamando tanto a atenção.
    O booktrailler está medonho.
    Até a próxima o//

    ResponderExcluir
  11. "…para amantes de uma boa distopia fria e original."
    Só faltou falar meu nome, flor! Hahahaha. Eu adorei sua opinião. Confio demais na sua crítica e a acho sempre muito completa. Gostei de saber que recomenda Fragmentados, porque estou bastante ansiosa para lê-lo. Acho que a crítica que ele traz é brilhante para os dias de hoje… Com certeza, pretendo comprar em breve.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Oieeee

    Eu comecei o livro bastante empolgada. A história me surpreendeu MUITO no início. A fuga e o encontro dos três foi bem legal. Sabe aquela sensação da montanha russa subindo? Que você fica animado, na expectativa de chegar lá em cima e começar a aventura? Eu me senti assim nas primeiras partes. Realmente é um início bem empolgante.

    Mas, de alguma forma, o autor perdeu alguma coisa pelo caminho. Eles passam por muitos lugares, conhecem muitas pessoas, descobrem muitas coisas. Tudo muito, muito, muito. Se fosse mais simples poderia ser bem mais legal. Acho que foi tudo muito tenso. A ideia que o autor teve para o desfecho foi interessante, porém, na minha opinião, mal aproveitada. Acabou tendo muito drama quando poderia ter mais aventura.

    =)

    ResponderExcluir
  13. Oiie,

    Eu nunca li nada parecido do esse livro, em que tem um personagem frio e calculista. No ano que vem a minha meta é começar a ler outros gêneros, e acho que vou começar por esse. Adorei. Adorei capa, está lindíssima.

    Bjs

    ♡ Amantes da Leitura

    ResponderExcluir
  14. Oi Diana!
    Eu já li esse livro, e é muito bom! Para quem gosta de distopia, é uma ótima indicação. A trama é bem construída, e os personagens bem marcantes \o/ Confesso que li a história sem parar, querendo saber o que aconteceria com cada personagem \o/
    Bjks!
    http://www.historias-semfim.com/

    ResponderExcluir
  15. Eu tinha lido uma resenha bem negativa desse livro, mas acho que é aquela coisa de momento... acho que cada livro tem um certo momento para ser lido. No meu caso, eu não curto distopia, mas esse parece ter tanta coisa interessante que merece uma chance.
    Entrou na minha lista pois fiquei bem curiosa - e um pouco impressionada em pensar por quanta coisa que essas crianças tem que passar. Entrou na lista.
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  16. Né? Amei cada página lida e os personagens. E a hora que o "bandido" tema fragmentação? Fiquei tão agoniada que precisei parar de ler naquele dia. Mas olha, pensando bem eu mandaria minha irmã para ser fragmentada. Olha que guria chata! Mas realmente é como uma realidade, porque o governo só pensa nisto e os médicos não pensam em curar e sim se livrar facilmente das coisas.

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.amigasemulheres.com

    ResponderExcluir
  17. Nossa, essa deve ser a terceira resenha que leio desse livro só essa semana e todas elas foram muito positivas! Estou com ele em e-book para ler e mal posso esperar para começar.

    Beijos, Maria.
    http://nerdsideblog.tumblr.com

    ResponderExcluir
  18. Olá, tudo bem?
    Quando eu vo booktrailer desse livro eu quase enlouqueci.
    Esse livro é muito maravilhoso, muito tenso e eu estou louca pela continuação.
    Eu Devorei cada página com uma aflição e uma dor no meu peito por cada um daqueles jovens fragmentários.
    E é um assunto tão absurdo e ao mesmo tempo tão atual chega a dar medo.
    Parabéns pela resenha e Oremos pela continuação..rsrsrs

    Beijos.

    Giuliana

    ResponderExcluir
  19. Já tinha lido a sinopse dele e fiquei um pouco na duvida e sua resenha me deixo arrepiada e curiosa em saber mais sobre o destino dos personagens. Gosto bastante de distopias e quem não gosta de um frio na barriga. Já adicionei a minha estante. Parabéns pela resenha.

    Beijos Carla Fernanda

    ResponderExcluir
  20. Olá,

    Muitas pessoas ficam revoltadas com a crueldade existente neste livro, eu ainda não li, mas minha curiosidade está a mil. São várias pessoas falando bem deste livro, até hoje não vi um comentário ruim, espero que no ano que vem eu possa lê-lo.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  21. Oiii!

    Dih, eu comecei a ter medo de ler esse livro, mas a cada resenha além do medo vem a curiosidade. Não funciono com distopias, mas essa é uma das que mais me deixa curiosa.
    Eu gosto da forma como o autor conseguiu mexer com todos os sentimentos dos leitores.
    Sua resenha está ótima!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  22. Oi Di!!!!!
    Que bom que gostou, eu amei a leitura dessa distopia, achei muito original e direta como disse até fria, e o tema bárbaro, adoro livros com essa pegada obscura, adorei os 3 personagens principais, foi uma leitura marcante e até adora me lembro da Fragmentação em si, e nossa, fiquei muito de cara com aquela parte, estava esperando tanto e quando chegou, foi indescritível e chocante! Beijos
    Paulinha - Overdose Literária
    http://overdoselite.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Oi Di, sua linda, tudo bem
    Nossa, nossa, nossa,eu já conheço a história, mas sua resenha me deixou super angustiada novamente, chocada é muito pouco. Acho que não existem palavras para descrever o comportamento desses pais e nem desses governantes. Mas sabe o pior, se é que existe o pior, coo é que alguém tem coragem de sujar as mãos e fazer a fragmentação. Uma história de arrepiar, você arrasou com sua resenha. Não vejo a hora de ler. Adorei!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Oi Diana, tudo bem?
    Embora essa história seja bizarra e realmente cause repulsa no leitor em vários momentos, confesso que foi a melhor distopia que li esse ano. Achei a obra do autor espetacular e mal posso esperar para ler a continuação.

    Bjs, Glaucia.
    www.maisquelivros.com

    ResponderExcluir
  25. Olá Dih! Lindona, sou super curiosa pela leitura desse livro. Justamente, por eu achar polêmico. já pensou? Uma sociedade, que decide "abortar" um jovem de 13 anos e esse jovem vai ter seu corpo disponível para ser fragmentado? Isso é muito surreal!! E por isso mesmo que estou curiosa, a cada resenha fico mais louca por ele! Sua resenha está linda! Beijos amore

    http://livrosepergaminhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Oi amiga
    Tudo bom?
    Sei que você gostou desse livro,as infelizmente eu larguei ele na metade, para mim a história não fluiu, achei meio sem pé nem cabeça, mas gostei de saber suas considerações.
    Beijos

    ResponderExcluir

Bem vindo ao blog Minhas Escrituras...
Fique a vontade para comentar aqui a sua opinião pessoal, sempre com respeito é claro!!! ;)
Você pode deixar o link de seu blog, que faço a retribuição com o maior prazer, mas não retribuo em postagens de promoção, ou seja, não comento.
Mensagem pra pedir que siga o blog, são automaticamente deletadas. Comenta no blog e deixa o link,farei uma visita no seu ok.
Quero agradecer a vocês que passam por aqui e deixam suas marquinhas, isso é muito importante... sintam-se a vontade...
Xero!