Resenha #65 - Almas Seladas - Marcelo Pontes

Título: Almas Seladas - Algorítimos Sagrados
Autor: Marcelo Pontes
Editora: Modo
Páginas: 225

Sinopse:
No ano de 1992, no dia 29 de fevereiro, duas crianças predestinadas nascem: Layla e Victor. Layla passa por todo tipo de sofrimento, pessoas queridas morrem em acidentes bizarros e, a cada morte, uma nova cicatriz aparece em seu corpo. Victor ao contrário, tem uma vida perfeita, um garoto que nasceu incapaz de sofrer. Victor e Layla se encontram e se apaixonam, um amor sem limites. O romance tinha um destino certo, à felicidade, mas eles não sabiam que eram peças de um complexo jogo entre o bem e o mal chamado: Algoritmos Sagrados.



 Tudo começa em 1992 como já diz na sinopse duas crianças nascem no dia 29 de fevereiro um dia atípico. Ano bissexto. O dia que só o teremos novamente após 4 anos. Então os nascidos nesse ano escolhem ou o dia 28 de fevereiro ou o dia 01 de março como dia de seu nascimento para comemoração e ter uma data definida uma vez que obviamente não se pode fazer aniversário a cada 4 anos.

Layla uma garota nascida já no meio do sofrimento, sua mãe morreu após o parto e ela teve que ficar com o seu pai que entrou em completo parafuso após a perda de sua mulher. Ele ficou desnorteado e começou a colocar a culpa na criança. Nem a avó da menina quis saber muito dela, ela também a culpava. A vida de Layla é marcada por perdas e a cada perda de pessoas queridas e próximas nasce uma cicatriz em seu corpo. Quando Layla começou a crescer ela achava que havia uma maldição nela e tinha medo de se aproximar das pessoas. A única pessoa que parecia não sofrer nenhuma consequência do que ocorria em sua volta era a sua vó que a tratava com muita indiferença e ela tinha uma vida sofrida e privada. O meio de se esconder era em sua maquiagem pesada e suas roupas escuras. Layla tinha sofrimento até na escola havia repetido de ano algumas vezes porque sempre acontecia algo que a fazia perder o ano, porque não conseguia entregar os seus trabalhos em dia.

-Felipe, eu estou aqui, seja forte.
De repente, sua memória voltou como uma flashback. Felipe lembrou-se do que se passou durante a noite e rapidamente, seu semblante tornou-se gélido e sofredor.
-Forte?Eu não tenho mais motivos para viver.
Sua irmã levantou-se nervosa.
-Como assim? Você tem uma filha linda para criar.
-Cláudia está morta! E essa menina foi culpada.

Victor um menino que teve um nascimento maravilhoso, apenas com um detalhe, no dia de seu nascimento ele não chorou, os médicos em primeiro momento acharam estranho, mas o menino nasceu grande e com muita saúde. Desde o seu nascimento somente coisas boas acontece com ele. Victor não passa por nenhum sofrimento, as coisas acontecem para ele de uma forma já trabalhada que parece que foram feitas para acontecer em torno dele. Victor cresce dentro de tudo e do bom e do melhor. Seu pai consegue enriquecer podendo dar uma vida de luxo e sem nenhum tipo de privação. Victor é adorado em todos os lugares para onde vai e desde que se entende por gente sua vida é de plena felicidade.

-Mas eu não escutei o choro? As crianças não choram quando nascem? - perguntou Rômulo virando-se para Augusto.
-Sim é bem normal, pois quando não choram pode haver alguma complicação grave que, imediatamente temos que intervir, entretanto não foi o caso. - Augusto fez uma pausa. - Algumas culturas acreditam que quando uma criança nasce sem choro é porque haverá prosperidade em sua vida e, que ela será incapaz de sofrer.

Em contrapartida existem alguns personagens secundários que mostram alguns acontecimentos estranhos desde que um especialista põe as mãos em uma relíquia chamado Códices Maias. Um dos especialistas fica maravilhado com esse códices e o rapaz que o acompanha nesse local explica para ele um pouco da cultura Maia, um pouco do seu significado e confesso que fiquei bem surpresa com algumas coisas que eu não sabia, aliás sobre esse assunto sou bem leiga e até que me empolguei um pouco nessa parte apesar de não entender tão bem como eu queria. Só sei que algumas mortes aconteceram e a narrativa em terceira pessoa explicou exatamente porque o fato se deu e isso acontece mais algumas vezes no decorrer da história.

-Os Maias acreditavam em três planos que regem o universo: a terra,na qual os seres vivos vivem; o céu, no qual habitam as forças do bem e o submundo, onde habitam as forças do mal. [...] -Estes livros possuem nomes e números. de alguma forma, acreditamos que os antigos Maias podiam prever quando uma pessoa era atormentada ou seria atormentada por alguma força maléfica, uma força tão poderosa que a única forma de contê-la era arrancando seu coração, caso contrário ela voltaria dos mortos.

Layla nessa loucura toda conhece Carol, uma menina de apenas 13 anos e que estava na mesma sala que ela, como eu disse anteriormente Layla repetiu de ano e muitas vezes se sentia ridícula por estar naquela sala cheia de crianças. Mas Carol não se deu por vencida e terminou conquistando a amizade relutante de Layla. Finalmente de uma maneira inusitada e parecia que o destino havia preparado esse encontro Victor conhece Layla e imediatamente se apaixona por ela, mas Layla fica totalmente na defensiva. Não está acostumada que as pessoas gostem dela e nem deseja isso, pois tem medo que elas se machuquem, ela já tinha que se preocupar com Carol. A partir daí parece que o livro começa a tomar jeito e muitas ações começam colocando a vida de Layla, Carol e Victor em perigo, pode ter certeza que as aventuras não são poucas e parece que a boa sorte de Victor faz com eles escapem da morte várias vezes.

Ao cruzar com Victor, ela virou-se e fixou seus olhos no rosto do rapaz. Neles, podia-se ver a ira e o ódio que dominavam o coração puro daquela garota. Victor que assistiu toda a cena, não conseguia tirar os seus olhos dela. Enquanto passava, o sol iluminou seu rosto realçando sua beleza. O tempo pareceu passar lentamente para ele. Os olhos verdes e brilhantes daquela menina eram penetrantes, um ar de mistério e pertubação tocaram o peito do jovem rapaz. Assim como o fogo, parecia que ela poderia consumi-lo com aquele olhar.

Eu achei a leitura bem interessante pelo simples fato do mistério e da curiosidade que cresceu no decorrer da leitura. Percebi que Marcelo Pontes o autor parceiro aqui do blog teve todo um cuidado em termos de pesquisa para falar das lendas dos Maias. Ele colocou informações que aguçaram a minha curiosidade me direcionando para pesquisar mais algumas coisas no Google. Eu gosto de ser despertada em uma leitura, gosto de me sentir curiosa e procurar por mais e de fato encontrei coisas interessantes. Marcelo tem um jeito próprio de escrever. Confesso que tive dificuldades em algumas partes de entendimento. Por isso voltei e li com mais cuidado, porque tive medo de perder o fio da história. Mas também embarquei no enredo imaginando algumas cenas, isso também foi super interessante.

A história me prendeu do inicio ao fim. eu não me senti cansada em nenhum momento e olha que levei somente dois dias para leitura desse livro na maratona literária de carnaval que participei. A única coisa que eu não gostei tanto foi a pressa de Victor e Layla se gostarem mesmo ela se mostrando relutante no inicio. Eu preferia que o autor tivesse detalhado um pouco mais essa parte, mas ainda assim consegui me sentir perto dos dois e do que sentiam e isso pra mim é muito importante. Gostei de Layla, mesmo com todo os seu sofrimento. Mas a história teve algumas pontas soltas na minha visão, teve algumas coisas que ficaram no ar, talvez porque teremos uma explicação maior na sequência do livro, assim espero. O final foi surpreendente e fiquei um pouco sem ar porque eu não imaginava, juro que voltei para ler porque eu não acreditei e comecei a me questionar, como assim? Mas ai veio a melhor parte me deixando de boca aberta e ansiando pela sequência. 


Desculpe por essa imagem um pouco tremida, mas o meu celular não queria cooperar hoje com as fotos. Eu gostei de algumas gravuras interessantes colocadas no decorrer do livro e como vocês podem reparar a numeração é colocada do lado da página. Os capitulos sempre começam com uma data e a localidade onde mostra a cena que acontece nos intervalos. Fora que também sempre tem uma frase que faz contraste com o capitulo. Disso eu gostei muito, foi uma boa ideia para chamar atenção e para fazer o leitor se maravilhar com o enredo. Como sempre a editora Modo arrasa com as capas... eu gostei muito dessa e a diagramação é simples, mas de excelente qualidade nem parece que li esse livro de verdade. As folhas são amarelas e a fonte de uma tamanho adequado para a leitura e espalhada bem nas páginas. 


Eu gostei muito da história e a minha nota quatro no skoob se deu ao fato de eu achar a história rápida com poucos detalhes em alguns momentos e algumas partes de difícil entendimento, mas eu adorei a narrativa explicativa que o autor usou para os acontecimentos estranhos e bem contundentes, lembrando que essa foi apenas a minha percepção. A construção dos personagens foi bem feita, mas eu esperava um pouquinho mais, afinal não mostrou o que aconteceu com um dos personagens, ficou meio que sem resposta no ar. Mas eu super recomendo a leitura para amantes de história, porque tem uma boa bagagem de conhecimento e curiosidade. Eu ainda recomendo para amantes de ficção, o livro é bem interessante vale muito a pena ler. 

Então leitores? O que acharam? Alguém conhecia o livro? Alguém já leu? Deixem os seus comentários com os links de seus cantinhos que irei retribuir a todos. Xero no coração de todos e que tenham uma ótima semana. Ah e não esqueçam de participar das promoções que rolam no blog. 


 photo participedotopcomentarista1.png


24 comentários

  1. Eu não conhecia este livro, e não senti atração na capa, mas sua resenha me despertou um enorme interesse nesta leitura. Alguns autores nacionais tem mesmo esse dom de pesquisa e de nos fazer ir buscar novas respostas tbm! Adoro quando um livro é capaz de fazer isso comigo, fiquei com muita vontade de ler 'Alma Seladas'.

    xoxo
    http://amigadaleitora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Não conheciano livro, gostei do enredo. Fiquei curiosa a respeito das condições que cada um vive, será que é alguma maldição? Porque ele tem tanta sorte e ela não? Confesso que isso me deixou intrigada. A capa é bem bonita e gostei de como os números das páginasnestão localizados. Bjs Dih

    ResponderExcluir
  3. Nossa Di.
    O livro parece ser bem intenso. Fiquei morrendo de pena de Layla e fico com raiva de pessoas que ignoram seus filhos, quando a mãe morre no parto.Pelo que você escreveu, irei gostar muito do enredo.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Oi Dih!

    Nossa! Realmente o livro é lindo! Fiquei curiosa com o enredo e a menção ao povo Maia, adoro esse tipo de história e me encantei de verdade pela sua resenha!
    O que dizer da MODO? Bem, arrasa sempre, isso é fato. Os livros são lindos e muito bem editados! Parabéns!

    bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  5. Oi, Diana
    Gostei muito da sua resenha. Não conhecia esse livro, mas a capa e a sinopse chamaram minha atenção. Fiquei super curiosa para ler.

    ResponderExcluir
  6. A capa me deixou bem curiosa. E a curiosidades aumentou agora. Se bem que não gostei do fato da menina ter rodado de ano na escola ):
    Fiquei bem interessada, ainda mais por ter isso de suspense *-*
    Beijos
    http://livros-cores.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. A capa não me chamou muito a atenção, mas a resenha e a sinopse sim. Além do que acho que livros com gravuras perdidas no meio das folhas me deixam muito encantada, e ainda mais se elas não revelam muito da trama. Achei a diagramação muito bonita, e a história bem interessante, mas fiquei com medo dos vários clichês que podem surgir dessa história de amor!!!

    ResponderExcluir
  8. Eu li esse livro e gostei muito do conjunto geral da obra,
    acredito que as respostas que não foram dadas devem vir nos próximos volumes da série, espero poder lê-los em breve.

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Dih,

    O livro parece ser bom, uma pena que o autor deixou uma ponta solta, a leitura crítica com certeza ajudaria na compreensão como um todo, mas sempre pode ser reeditado e melhorado! A capa é bonita =)

    http://www.viajenaleitura.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi Dih,
    o livro parece ótimo.
    A sinopse é bem legal e pelo que você descreveu o livro é cheio de detalhes que conseguem capturar a atenção do leitor.
    A diagramação ficou muito linda mesmo.
    Bjokas
    http://nerdworldofgirl.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Adorei isso de ter lendas dos Maias no meio! *-* Só que fiquei meio aterrorizada com as coisas que acontecem com a Layla, esse negócio de surgirem as cicatrizes no corpo dela não me agradou não... hehe... e li um livro essa semana com muitas partes complicadas de entender, então estou meio que correndo disso no momento... rs... Fora que não estou animada a embarcar em uma nova série... pelo menos não em uma que eu ainda não tenha os livros, tenho várias séries inteiras não lidas na estante. Então, por enquanto, não vou querer ler. Quem sabe com a publicação do restante da série eu não mude de ideia...

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  12. Oi.

    Não conhecia o livro, mas não sei se gostaria da leitura.

    Beijos!
    http://fernandabizerra.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oi Diana...Não conhecia esse livro, mas a premissa dele parece ser muito boa!
    Sua resenha me deixou super animada, pois coisa boa quando uma historia nos fisga e faz a gente "devorar" o livro =)
    Já inclui ele a lista de desejados e espero poder conferir em breve!!

    ResponderExcluir
  14. Oieee, eu não conhecia este livro, porém fiquei com vontade de ler rsrs, a capa é muito legal e chama muito a atenção do leitor, também gostei da temática da história, adoro livros com temáticas de cruzilhadas de destinos e essas coisas rsrs, Parabéns pela resenha e pelo blog, Abraços :D

    ResponderExcluir
  15. Olá!

    Sempre quis ler Almas Seladas, conversei com o autor e acho que vou comprar o livro, parece ser muito bom. Gosto de livros misteriosos, e que atiçam a curiosidade, conforme a história é contada. Agora com está resenha maravilhosa, fiquei ainda com mais vontade, acho que não da mais pra segurar... TENHO QUE LER!!!!!!

    Jonathan Freitas - http://momentoliterario1.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Oi Dih, eu não conhecia o livro nem o autor, e confesso que achei a premissa desse livro bem interessante e eu com certeza eu o leria, sem falar que gostei bastante da capa também. Adorei a resenha bem detalhada ^^
    Bjs

    ResponderExcluir
  17. Oii, o livro é bem legal e a sua resenha está maravilhosa, porém eu não gostei muito da história. :\
    Abraço, www.likelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Oi Dih!
    Não conhecia o livro, mas só de saber que ele trata de lendas maias já me conquistou. Amo conhecer um pouco mais de culturas diferentes!
    Beijos
    http://sobrelivrosesonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Oi,
    Não conhecia o livro, mas gostei da premissa um história que se trata de lendas maias, me ganhou faz tempo que não leio nada semelhante.

    Beijos
    Mari - Stories And Advice

    ResponderExcluir
  20. Oi Diana.

    Vi que você não gostou da leitura apressada, mas acho que esse foi o meu atrativo em sua resenha. Livros que prolongam muito no nhenhenhem não me agradam no decorrer da leitura.

    Beijo

    ResponderExcluir
  21. Tenho esse livro aqui em casa, mas ainda não o li, pois como trata-se de uma série, prefiro começar a ler quando estiver com todos os volumes em mãos. Acho massa quando os autores conseguem nos deixar curiosos em relação ao que ele está contando. São poucos os que conseguem me fazer pesquisar um pouco mais sobre os assuntos. Outra coisa legal foi saber que o autor pesquisou bastante pra conseguir embasar sua trama.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  22. Adorei o enredo do livro e fiquei louca pra ler.
    É uma estória diferente e que já atiça a nossa curiosidade por causa dessa originalidade. A escrita do autor deve ser genial. O fato de ser tão rápida a estória me anima, pois é melhor assim que parada.
    Vou adorar ler esse livro se tiver a oportunidade.

    ResponderExcluir
  23. Ainda não conhecia o autor, mas este livro parece ser bem interessante mesmo! Fiquei curiosa, parece ser uma obra cheia de mistérios e muito bem construída, já que o autor soube prender a atenção do leitor e aguçar a curiosidade para ser feitas pesquisas! Fiquei interessada na obra. :)
    beijos

    ResponderExcluir
  24. Oi Di, tudo bem?
    Já comecei adorando essa capa!!!!!!!
    Uma história instigante, eu diria assim: uma pessoa com sorte de um lado (tudo dá certo) me outra com azar do outro lado (tudo dá errado). E essas almas estão seladas por algum mistério do livro!!!!!!!!! Gostei do enredo.
    Eu sou uma apaixonada por história antiga, e a civilização Maia é fascinante. Engraçado, existem coisas que eles faziam na época que até hoje o homem não consegue fazer!! Não é impressionante??? Dizem que eram uma sociedade evoluída, como regredimos tanto???
    Beijinhos.
    cila-leitora voraz
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Bem vindo ao blog Minhas Escrituras...
Fique a vontade para comentar aqui a sua opinião pessoal, sempre com respeito é claro!!! ;)
Você pode deixar o link de seu blog, que faço a retribuição com o maior prazer, mas não retribuo em postagens de promoção, ou seja, não comento.
Mensagem pra pedir que siga o blog, são automaticamente deletadas. Comenta no blog e deixa o link,farei uma visita no seu ok.
Quero agradecer a vocês que passam por aqui e deixam suas marquinhas, isso é muito importante... sintam-se a vontade...
Xero!