Resenha #19 - Adeus à Humanidade - Marcia Rubim

Título: Adeus à Humanidade.
Autora: Marcia Rubim
Editora: Novo Século (Novos Talentos) 
Páginas: 388

Sinopse: 

Uma paixão acendendo após mais de um século de escuridão. Uma doença atual apagando a luz de uma vida. Somente sua mordida poderia curá-la. Apenas seu tipo sanguíneo seria capaz de matá-lo. Como um amor tão improvável sobreviveria? Do que você seria capaz de abdicar para salvar e vivenciar, mesmo que por pouco tempo, um amor jamais sentido antes? Da cura de milhares de humanos? Da própria vida? Stephanie tinha todos os motivos do mundo para não acreditar em seres míticos ou na felicidade, mas vai descobrir que estava totalmente enganada. Sua alma-gêmea existe! O problema é que a linha do tempo que a separa do amor eterno é muito tênue. E somente um milagre possa uni-los novamente.


"Não importa a eternidade que leve até que se encontre o verdadeiro amor, e sim a intensidade com que o sentimos quando ele se manifesta em nossas vidas."

Primeiramente tenho que confessar que o nome do livro me chamou muito atenção e graças a Deise, minha amiga blogueira que me indicou esse livro, fui correndo para o skoob procurar a sinopse e me apaixonei. Esse livro foi escrito pela nossa autora parceira Marcia Rubim  e que eu adorei conhecê-la uma mulher muito atenciosa, legal e com muito talento.

Como posso me salvar se meu sangue pode te matar? Como um sangue pode matar um vampiro? Algo inacreditável e totalmente discutível.

O livro é narrado pela protagonista Stephanie, uma garota de vinte e poucos anos que mora com sua mãe, seu meio irmão e seu padrasto, apesar de seu pai estar separado de sua mãe os dois tem uma ótima relação e ela o adora. A vida dela parece perfeita a não ser pelo vazio que sente dentro de si, uma vazio que por mais que ela tente não consegue preencher com exatamente nada. Ela sempre se sentiu desfocada devido a isso como se tivesse nascido fora de uma realidade, mas que tentava viver da melhor forma possível. Ela não acreditava muito no amor, pois nunca havia se apaixonado e nem se quer se interessado por alguém que pudesse fazer pelo menos o seu coração balançar.

Anne a sua melhor amiga desde sempre, elas tem uma amizade sincera e muito rara hoje em dia. Ela é uma garota simpática, cheia de alegria e que torce muito por sua amiga, quer que ela encontre uma pessoa que ela possa amar e ser amada, mas Stephanie não acredita nisso e por mais que as duas sejam fiéis amigas, essa parte vazia ela não consegue revelar para ninguém. As duas chegam fazer uma aposta caso Stephanie se apaixone terá que pagar um rodízio em um restaurante que Anne parecia adorar.

"Eu não era feia, apenas... comum.
Sabia que podia atrair muito rapazes. Bem, digamos que não os mais bonitos. Entretanto, também não era isso o que me interessava, embora não soubesse especificadamente o que buscava neles, ou se realmente queria buscar algo."

Stephanie nunca conseguiu saber o que queria ser, apesar de ter feito vestibular para nutrição a única coisa que a deixava feliz naquele momento era a fotografia que foi influenciada pelo seu padrasto, ela fez curso e tudo e resolveu se inscrever em um concurso ganhando em primeiro lugar uma viagem de ida e volta para Miami e lá era iria encontrar seu pai, queria ir até lá com seus próprios esforços, estava meio cansada de ficar dependendo dele e de sua mãe para obter as coisas. Ao chegar lá conseguiu matar a saudade de seu pai que acabou a convencendo de ficar por lá para estudar e ela decidiu optar para fazer enfermagem, ela fez tudo e vários estágios fazendo seu currículo ficar adequado para trabalhar em qualquer hospital de médio a grande porte.

Mas de repente tudo virou de cabeça para baixo, seu pai sumiu do nada deixando apenas um bilhete suspeito e Stephanie teve que voltar para o Brasil para cuidar de sua mãe e irmão, pois seu padrasto foi assassinado e ela com sua família ficaram em uma situação difícil e desesperadora, praticamente passando fome mesmo. Diante de tudo isso Stephanie resolveu aceitar uma oportunidade de emprego em São Paulo , ela teria que sair do Rio de Janeiro e ficar longe de sua mãe, irmão e amiga e da praia que tanto adorava, mas seria um sacrifício para o bem de todos, pois a sua mãe estava depressiva e ela tinha que tomar as rédias da situação.

"Um mês inteiro de expectativa e a cada dia a esperança de receber alguma notícia positiva ia se esvaindo. Estávamos já bem próximos de chegar a uma conclusão que meu coração teimava em não aceitar: o meu pai não podia ter morrido. Não podia."

Em São Paulo ela conseguiu o emprego e estava morando em  uma pensão bem simples, pois tinha que economizar o máximo que podia e a sua sorte era que no hospital oferecia comida, pois ela só comia uma vez por dia.

Foi daí que ela conheceu o Dr. Richard um médico temido por todos no hospital e com a enorme fama de mal – humorado e motivo de suspiros pelas auxiliares de enfermagem e enfermeiras. Ele era lindo aos seus olhos branco meio pálido, cabelos negros grossos e encaracolados, tinha uma altura super considerável e incríveis olhos azuis diferentes, quase no tom violeta, mas de cara eles não se deram bem, tudo para ele era motivo de crítica com relação as coisas que Stephanie fazia, mas ela ainda o rebatia coisas que suas colegas achavam de coragem, pois nenhuma enfermeira havia permanecido tanto tempo assim com ele em seu auxilio.

"Soltando um longo suspiro de desânimo, o médico logo percebeu a minha presença e disparou a falar sem nem sequer se virar para me olhar.
- Enfermeira, onde estão os exames complementares da Sra. Deise Manzipinni, que não se encontram aqui no prontuário?
Diante de uma hesitação minha em responder à sua pergunta, ele finalmente virou o rosto para me encarar.
Primeiro lançou um breve olhar na minha direção por cima do ombro(...)
Depois, mais parecendo sobressaltado, a cabeça do homem girou rapidamente e ele ficou me observando de um jeito desconfiado por alguns segundos (...)
Parando por um instante seus olhos em meus lábios."

Agora porque será que ele agia dessa forma com Stephanie? Será que ele sentia algo? Ela o achava misterioso demais. Ela o achava atraente e estava completamente fascinada por ele de uma forma assustadora e desconhecida por ela mesma.

Ele tinha um segredo, um segredo que em sua visão era monstruoso e ele não queria ser dessa forma, ao conhecer Stephanie mais profundamente, queria logo lhe dizer o que ele era, queria ter certeza de que ela o aceitaria da forma que ele era, nada mais e nada menos que um vampiro!

Será que ela vai aceitar essa sua condição, depois de estarem tão envolvidos em uma paixão ardente e intensa. Stephanie estava se sentindo perdida e maravilhada com todo aquele sentimento que estava sentindo por ele, logo ele que a infernizou assim que se conheceram.

Esse livro em minha visão é uma forma diferente de romance entre vampiro e humana, as coisas que acontecem são da mesma forma direta, mas ricos em detalhes. Marcia foi incrível nessa escritura, gostei muito de toda a história e do desenvolvimento da personagem, que era aparentemente frágil, mas diante de uma situação difícil se tornou forte e corajosa e não ficou pensando muito nela e nos seus sentimentos de perda aparente de seu pai, estava preocupada com a situação de sua mãe e principalmente de seu meio irmão.
                                                                                                                                                                           
A história desde o inicio já te envolve e te prende, você consegue respirar e perder o fôlego, consegue automaticamente se emocionar com as dificuldades que a personagem principal passa e consegue se familiarizar com sua dor, confesso chorei e muito com algumas situações e com o final do livro também que deixou uma pequena abertura para dar sequência a continuação "Quando a Humanidade Prevalece"


O livro é movido referente a inicio, meio e fim, mas o fim que te deixa ansiosa pela continuação, fico pensando na aventura que Dr. Richard e Stephanie vão enfrentar acredito que esse primeiro livro foi apenas a iniciação de uma história ao mesmo tempo que é arrebatadora vai nos deixar completamente sem fôlego. Por fim o que posso dizer é que esse foi o inicio de um romance totalmente perfeito e mesmo com os altos e baixos que rolam é um tipo de romance que eu gostaria de viver o pude me satisfazer em meu mundo de imaginação cada pedacinho dos personagens e posso dizer que super recomendo essa leitura.



"Se Deus ainda me permitisse conceder um único desejo, pediria que ele não tirasse meu ar... Naquela noite, retribuí ao seu amor com todas as forças, com medo que cada segundo fosse o último"



Xero!

2 comentários

  1. Ah, que linda a sua resenha, Dih! Adorei!!!
    Obrigada pelo carinho! S2
    Bjssss

    ResponderExcluir
  2. Magina Marcia... eu é que agradeço pela confiança e atenção sempre! Xero!

    ResponderExcluir

Bem vindo ao blog Minhas Escrituras...
Fique a vontade para comentar aqui a sua opinião pessoal, sempre com respeito é claro!!! ;)
Você pode deixar o link de seu blog, que faço a retribuição com o maior prazer, mas não retribuo em postagens de promoção, ou seja, não comento.
Mensagem pra pedir que siga o blog, são automaticamente deletadas. Comenta no blog e deixa o link,farei uma visita no seu ok.
Quero agradecer a vocês que passam por aqui e deixam suas marquinhas, isso é muito importante... sintam-se a vontade...
Xero!